• Home
  • Polícia
  • Quadrilha apontada por diversos crimes é presa em Várzea Grande
(Foto: Polícia Civil de MT/Assessoria)

Quadrilha apontada por diversos crimes é presa em Várzea Grande

Quadrilha investigada por roubos na Grande Cuiabá e no interior de Mato Grosso, foi presa em Várzea Grande. De acordo com a Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Várzea Grande (DERF-VG), a prisão ocorreu no sábado (7) e foi divulgada nesta segunda-feira (9).

Foram presos os suspeitos Rian da Silva Arruda (apontado como líder da quadrilha), de 28 anos, Jefferson Ferreira Leite, de 25, Victor Hugo Araujo Andrade, de 19, Renato Rodrigo Souza Simi, 27, e Ubiratan dos Reis Costa, de 20. Eles foram presos nos bairros Água Vermelha e José Carlos Guimarães.

Quatro integrantes da quadrilha foram encontrados no Bairro Água Vermelha, portando alguns objetos roubados e furtados, como aparelhos eletrônicos, rádios comunicadores, joias, violão, saxofone, celulares, porções de maconha e comprimidos de ecstasy e balança de precisão. Já o líder foi preso em outro endereço, no bairro José Carlos Guimarães.

Materiais foram apreendidos com a quadrilha presa em Várzea Grande (Foto: Polícia Civil de MT/Assessoria)

 (Foto: Polícia Civil de MT/Assessoria)

Durante a investigatigação dois automóveis foram apreendidos. Os veículos estavam em um galpão abandonado no bairro Nova Várzea Grande. Eles foram roubados em assalto no bairro Quilombo em Cuiabá, no dia 4 de abril. Também foram apreendidas munições de calibre ponto 40 e ponto 38, e 9mm.

No celular do líder da grupo foram flagradas fotos de veículos, com registro de roubo/furto, além de imagens de armas de fogo e mensagens em que o criminoso oferecia veículos e objetos roubados. As investigações também apontaram que o grupo fornecia armas por meio de aluguel a outros criminosos.

O quadrilha foi autuado pelos crimes de receptação, tráfico de drogas, associação ao tráfico, associação criminosa, posse irregular de arma de fogo, posse ilegal de munições de uso restrito e corrupção de menores.

Por Samara Moura