• Home
  • Cidades
  • Justiça estipula fiança de R$ 25 mil para acusada de mandar matar marido e amante
PJC

Justiça estipula fiança de R$ 25 mil para acusada de mandar matar marido e amante

Por Jeverson Missias da Redação

Acusada de mandar matar o marido Jandirlei Alves Bueno, 39 anos, em 2016, e o amante Adriano Gino, 29 anos, em dezembro passado,  a maquiadora Cléia Rosa dos Santos, de 34 anos, teve a fiança arbitrada pela Justiça por ocultação de cadáver, no valor de R$ 25 mil, em uma audiência de custódia realizada neste domingo (24), no Fórum de Sinop (500 km de Cuiabá).

Outros dois suspeitos de participação no crime Adriano dos Santos, 20 anos e José Graciliano dos Santos, 30 anos,  também tiveram a fiança arbitrada. Eles são irmãos e foram acusados de executar o segundo assassinato.

De acordo com a Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), Cléia e os comparsas, continuaram presos já que ainda respondem por outros crimes, como de homicídio qualificado. José, que assumiu ser o executor do crime, não terá direito à fiança.

A maquiadora deve ser encaminhada para a Cadeia Pública de Colíder, nesta segunda-feira (26). Já os dois irmãos serão encaminhados para a Penitenciária Osvaldo Florentino Leite, conhecida como Ferrugem, em Sinop. O delegado Ugo Reck de Mendonça terá prazo de 30 dias para concluir o inquérito ou pedir a prorrogação da prisão por mais 30 dias.

CASO

Segundo investigações da Polícia Civil, Cléia tramou a morte de seu marido, Jandirlei Alves Bueno, em outubro de 2016. A vítima foi esfaqueada e chegou a ser encaminhada a um hospital, mas não resistiu aos ferimentos e morreu dois meses após o incidente.

O caso foi tratado a princípio como latrocínio (roubo seguido de morte) e as investigações chegaram a ser suspensas em razão da falta de provas. A família de Jandirlei, no entanto, sempre suspeitou da participação da viúva e do amante no episódio.

Durante as investigações a Polícia deparou com a notícia de que Adriano Gino, também havia sido assassinado. Cléia teria encomendado também a morte de Adriano, no ano passado, com dois guardas-noturnos, na tentativa de forjar um latrocínio e atrapalhar as investigações da polícia.

O corpo do amante foi encontrado neste sábado (24), enterrado em uma área de mata afastada da cidade. No mesmo local estava enterrada uma moto.