Desenho em Lousa por João Batista Conrado

A quem mesmo o trono pertence?

Por João Batista Conrado *

Com todo respeito a quem pensa diferente. A quem mesmo pertence o “Trono”?

Para mim simplesmente representa o símbolo das futilidades do Consumismo. O culto ao pernóstico materialismo.
Quando criança, também tive papai Noel. Eu e meus dois irmãos. Não assim como hoje, esse papai Noel postiço sutilmente a espreita das crianças nas esquinas, praças e shopping.
Não, meu papai Noel tinha vida própria em meu imaginário. Nas noites de Natal a gente quase não dormia tentando pegar papai Noel de surpresa, mas o sono sempre nos nocauteava antes mesmo da meia noite. Depois de grandinho, descobri com um gosto amargo que ele era na verdade meu próprio Pai.
Morávamos na roça, tínhamos poucos recursos financeiros. Tínhamos um só par de sapatos que eram usados até com a sola já furada. Mesmo assim, meus Pais eram fielmente amorosos com os filhos e nunca deixou nosso Natal passar em branco. Vivíamos numa fazenda em contato direto com a natureza. Não havia televisão a contaminar nossas mentes. Nossas noites eram iluminadas pela Luz da lamparina a querosene ouvindo histórias de assombração e lendas de puro encantamentos. Nas paredes da cozinha vultos misteriosos dançavam produzidos pelas as sombras projetadas pela a chama da lamparina.
A vida era simples e ainda o avanço sedutor do capitalismo estava apenas começando. Papai Noel daquela época não era voraz como nos dias de hoje. Mas já era a antevisão do que hoje veio a ser.
Hoje, depois de tantas estradas percorridas, assim pesaroso vejo o que realmente estava por trás da intromissão do velho barbudo na vida das crianças:
Tirar o foco do “menino DEUS” e em seu lugar assumir o trono o “Bezerro de Ouro”, o consumismo inconsequente e banal da sociedade globalizada.
Muito triste ver tanta manipulação das pessoas submetidas a frivolidades mundanas. Deplorável também, pois até o cidadão que representa o tendencioso papai Noel, é também ele, mais um pária de nossa sociedade. E apesar disso, quantos nesta pseudo felicidade leviana, ainda investem neste castelo de ilusão? Quantos?
O mês de dezembro, assim como o ano todo; só existe espaço para uma personalidade inquestionavelmente Sagrada: Jesus Cristo a personificação do Amor Universal.. O filho de Deus e nosso Salvador.
A ele devemos Tudo. Assim a nossos filhos, devemos ensinar com Alegria e gratidão, Reverenciá-lo Jesus, com toda a nossa Alma. Com todo o nosso Coração!!

“Tudo aqui é do Pai”!

* João Batista Conrado possui Licenciatura Plena em Desenho e Plástica pela Universidade Federal de Juiz de Fora(MG) e é Pós graduado em Arteterapia em Educação e Saúde pela UCAM(RJ).
´É Arte Educador a mais de 35 anos nos níveis de Primeiro, Segundo e Terceiros Graus.