Max Russi – A proatividade mais sensata de uma CPI. BR 163 já!

Imagina-se que quando uma empresa ganha uma concessão de exploração de pedágio em rodovia, um negócio que se assemelha a um porquinho cofre do tamanho do globo terrestre, com usuários de minuto em minuto depositando moedas que tilintam no seu interior, formando fortunas diárias, os agraciados com o benefício, retribuam entregando o que sua obrigação contratual lhes compete.

No caso da BR 163, o tal cofre e trocado diariamente e as moedas são papel moeda em volume que não dá sequer para imaginar… Aquilo é um pé de pequi que dá o ano inteiro com frutos do tamanho de uma balão de sobrevoos.

Assim sendo, nada mais justo que depois de tanto tempo de exploração, os concessionários já tivessem duplicado a via, tomado providências que garantissem a segurança dos usuários e fizessem sua obrigatória parte… Só que não né? A BR que produz fortuna se transformou na rodovia da morte em MT.

São acidentea diários, óbitos volumosos, interdições constantes, insegurança plena é um desleixo que revolta quem tem que se aventurar naquela estrada que é só Deus na causa para enfrentá-la.

Sem acostamento, placas e sinalizações aparentes, ultrapassar na movimentada estrada é um jogo de sorte e o sinal da cruz é feito com a mesma quantidade de seu ininterrupto movimento por quem
por lá é obrigado a transitar.

A privatização das estradas é um avanço que não pode ser desdenhado, uma solução para que o Estado invista seus recursos em áreas que atendam de forma mais veemente as áreas que tragam melhorias mais pontuais a sociedade… Entende-se que a medida nos livra de altos custos na abertura e manutenção de malhas e que desse problema nos livremos com a exploração pela iniciativa privada e sua celeridade em processos.

A empresa que administra o trecho tem sido relapsa à anos e na enrolação, maquia, capricha somente nos trechos que antecedem seus postos de cobrança, colocam seus reluzentes veículos sirenados para passar a impressão de assistência e presença. mais… duplicar e recapear que é bom, neca de piribiribas… Só bla bla bla é enganação.

Está CPI, de uma necessidade premente e urgente, deve ser abrangente, proativa, participativa com todos os seus membros de forma dedicada, e trazer os resultados que a população exige sem quaisquer tipos de condescendência.

MT e essa gestão tem feito um esforço hercúleo para nos promover avanços em todas as áreas, isso é tão notório que o canteiro de obras e ações que estamos vivenciando, são estampados em todos os mais longínquos recantos, mostrando que o Governo está debruçado em fazer do progresso sua mais insistente é verdadeira bandeira.

Não é mais aceitável que fiquemos reféns da vontade e do próprio tempo, que o beneficiado cessionário não entregue sua parte sob pena de, ser responsabilizado pelos constantes desastres e mortes causados por sua negligência e corpo mole.

O presidente Russi, a vice Janaína e o primeiro secretário Botelho, conjuntamente com o universo dos deputados, de forma supra partidária, devem se unir nessa CPI que será talvez um dos maiores anseios da sociedade que não lhes negará apoios e aplausos com sua implantação e os esperados resultados.

Estaremos acompanhando e as milhares de vidas perdidas, nos fatais e constantes acidentes que por lá acontecem, estarão no céu e na terra de olhos, ouvidos e apoio incondicional a esta CPI.

Parabéns pela iniciativa.

Estamos de olho.

Comentários

0 Comentários

DÊ A SUA OPINIÃO!