• Home
  • Política
  • Mourão diz que sugeriu outro nome ao STF, mas que Bolsonaro não aprovou
Foto: Evaristo Sá/AFP/12-08-2021

Mourão diz que sugeriu outro nome ao STF, mas que Bolsonaro não aprovou

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) afirmou nesta quarta-feira (13/10) que chegou a sugerir ao presidente Jair Bolsonaro um nome para a vaga de ministro no Supremo Tribunal Federal (STF). Porém, disse que o chefe do Executivo não aprovou sua indicação, o desembargador Carlos Thompson Flores, ex-presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região do Rio Grande do Sul.

Bolsonaro aposta em André Mendonça, que teve a sabatina emperrada pelo presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). O general ainda criticou a postura do ex-presidente do Senado de não pautar a sabatina do ex-AGU, três meses após a indicação.

“Acho que não está correto isso aí. O senador Alcolumbre deveria cumprir a tarefa dele, de presidente da CCJ, botar o nome para ser votado e acabou. Se for aprovado, muito bem. Se não for, muito bem também. É o papel do Senado, confirmar ou não a indicação do presidente da República. Uma coisa eu digo claramente: não está correto”, alegou a jornalistas na chegada ao Palácio do Planalto.

“Na minha visão, eu gosto que as coisas sejam feitas de acordo com a com a regra, né? A regra é o quê? Está indicado, você vota e acabou. Se é aprovado ou não é outra coisa”, completou.

“Já havia conversado com o presidente sobre o nome há muito tempo, e o presidente também tem conhecimento do papel e da competência técnica e profissional do desembargador, mas ele tem outras variáveis que leva em consideração para essa decisão”, concluiu.

Hoje, durante evento em Miracatu (SP), Bolsonaro teceu elogios a André Mendonça e reforçou aceno à ala evangélica em indicar um ministro “terrivelmente evangélico”.

“Se Eldorado (SP) tem um presidente, se Deus quiser, brevemente, Miracatu terá um ministro do STF. À família de Miracatu, à família de André Mendonça, meus cumprimentos por esse homem extremamente capaz e inteligente. E dentro dos meus compromissos, um evangélico para o STF”, disse.

No último dia 10, o chefe do Executivo responsabilizou o senador Davi Alcolumbre por travar a sabatina de Mendonça.

 

 

 

Correio Braziliense