Porque os Prefeitos não foram.

Por Halisson Lasmar

Porque os Prefeitos não foram.

Ficou estranho para Emanuel Pinheiro a abortagem à francesa, que lhe presentearam os prefeitos.  Má organização, desprestígio ou receios de desagradar o governo?

Eleições que se aproximam, Governo Estadual fazendo com força e atendendo todos os municípios como se tem divulgado.

Seu próprio MDB, mais da metade, contra e pior, alinhados, fazendo base e posando para fotos. Pinheiro tem que rebolar muito pra tentar qualquer incursão de peitar 2022.

O formato de conquistas e sedução tão peculiares de EMANUEL, são incontestáveis, uma abordagem tem que ser pensada já. O Governo vem dando baile de comunicação e as prefeituras estão na imagem das obras. Cooptar prefeito é nadar contra maré.

 

Enfim teremos trilhos e locomotivas.

Segunda-Feira ( 20) o governador Mauro Mendes e o Ministro Tarcísio de Freitas , homologam e validam o contrato de concessão para a construção da ferrovia estadual.

Mauro e Tarcísio vão a Nova Mutum e Lucas do Rio Verde, cidades que vão estar na fotografia da passagem e Portos da ferrovia… O assobio do progresso inevitável que vem com estes trilhos.

O processo é uma realidade! Médio-Norte, Nortão e Baixada Cuiabana também estão nas rotas. Os trilhos e terminais interligarão Rondonópolis a Cuiabá, Rondonópolis à Nova Mutum e Lucas do Rio Verde, formando a malha ferroviária até o
Porto de Santos (SP)… Fretes lá embaixo, estradas menos tumultuadas, centros de carregamento e abastecimento formando grandes núcleos de negócios no MT.

 

RGA – Que venha. Bem vindo.

Bradado por anos e sem respostas, o tal RGA, ressurge e já com percentuais e brigas por quero mais antes mesmo de cair o sumido dinheiro das conta salários… Tá legal! Manda os 6, 6.5, depois a gente briga mais, valeu, fazia tempo hein?

Abraçar a causa do querer mais nesse momento é pura demagogia. Energia deve ser gasta agora para fazer ou manter, caixas e superávits para continuarmos crescendo. Crescer é nossa mais paupável oportunidade de nos transformamos na AMÉRICA do cerrado.

Quem quer ser Deputado?

Bem longe as eleições ainda mais os candidatos a deputados já começam a brotar do asfalto, da terra, do Pantanal seco e dos barrancos que estão altos no Rio que agoniza… Cada dia mais e mais nomes insurgem no cenário da disputa, e pouca vaga pra muito candidato. Nomes do jet set político no poder e os que estão atrás dele, já apertam mãos esquecidas, distribuem sorrisos fáceis, e fazem questão de toda e qualquer aparição. Tem imprensa? Tô nessa!

Vai precisar  de recursos fartos nessa eleição em função dos preços que se elevam com tantos abastados querendo entrar na potente AL. Para ser deputado vai ter que ter dim dim, comunicação profissional e muito alinhamento com o governo atual que já está na disputa, tem chances reais e concorrentes, até agora, inexistentes. Isso é estar na frente.

 

Tarcísio Governador? Senador? Por MT?

Não sei se bom, ou humilhante, mas o competente e nacional Ministro Tarcísio, pode muito bem apoitar sua embarcação em outros rios. Os nossos estão secos, mas aqui é terra de homem.

Este petardo que leva nada a lugar nenhum, só faz o descrédito de seus semeadores, plantarem suas próprias ervas daninhas e mais, para seu próprio consumo. Tiro no pé.

Gostamos da ajuda, tratamos como rei, atendemos todas as exigências, damos as contra partidas, somos hospitaleiros até a alma mas, Aqui temos nossos políticos. Sentimento de bairrismo e invasão incomodou.

 

Energia: a conta vai chegar moçada.

Como diz o Cuiabano – TCHÁ POR DEUS, com a conta que vai chegar na caixinha esse mês. Ar condicionado torando dia e noite sem parar e a sensação de sair lá fora e achar que o inferno existe e tá ali, soprando quente na varanda tem sido difícil pra gente. Para distribuidoras, máquina de contar dinheiro nos relógios acelerados.

Enquanto isso as chuvas só ensaiam por enquanto, os vendáveis vem primeiro só com aquela molhada básica para esquentar mais. Sei não viu? Mudanças de clima dedo no nariz e medo enorme de que elas não venham ou venham modestas. Estamos precisando de inundações para compensar. Lembra de nós São Pedro.

 

O agronegócio representa 40% do PIB! Que marca hein?

A indústria Brasileira hoje é só 14,5% o resto é petróleo comércio e serviços, o Agro, mesmo sob críticas foi e tem sido tábua de salvação e investimentos em tecnologia muito a frente dos mostrados pelo poder público… Pelas próprias pernas o campo vai conquistando sua independência financeira e tecnológica

 

Energia solar. A Bola da Vez

Em Minas, até 2022, 70% de um projeto de geração de energia solar estará concluído e corresponderá à geração de meia Itaipu! Um mercado que também tem que estar no MT, maior produtor de sua matéria prima, renegar ou criar dificuldades não é a medida, liberar geral, esse é o caminho… Olhos de águia na energia solar gente.