• Home
  • Esporte
  • Diageo, dona da Smirnoff, é terceira empresa a retirar suas marcas da Copa América no Brasil
Diageo decidiu retirar suas marcas de bebida da Copa América — Foto: Divulgação

Diageo, dona da Smirnoff, é terceira empresa a retirar suas marcas da Copa América no Brasil

Depois da Mastercard e da Ambev, a Diageo decidiu nesta quinta-feira (10) retirar suas marcas da Copa América no Brasil “diante da atual situação sanitária brasileira e em respeito ao momento da pandemia do Covid-19”.

Dona das marcas Smirnoff e Johnnie Walker, a companhia inglesa afirmou também que os termos do patrocínio foram acertados quando o evento estava previsto para ser realizado na Colômbia e Argentina.

“A Diageo reitera seu compromisso com a sociedade observando os protocolos de segurança e ações institucionais que contribuam para a mitigação da pandemia.”

Além do recuo da Diageo, Ambev e Mastercard, a maioria dos patrocinadores da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) já tinha divulgado notas oficiais cobrando a apuração das acusações de assédio sexual e moral contra o então presidente da entidade, Rogério Caboclo, que, no fim de semana, foi afastado do cargo por 30 dias.

Início do torneio

A Copa América começa domingo, com o jogo Brasil x Venezuela, às 18h, no estádio Mané Garrincha, em Brasília. O torneio terá jogos também em Cuiabá, Goiânia e no Rio de Janeiro.

Nesta quinta-feira (10), a maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal votou para rejeitar duas ações que pedem a suspensão da Copa América. Se for mantido, o placar confirma a realização do evento no país.

O tema é julgado no plenário virtual do STF, onde os ministros se manifestam eletronicamente. As duas ações têm a ministra Cármen Lúcia como relatora.

A maioria dos ministros acompanhou o voto de Cármen, que rejeitou os dois pedidos por questões processuais.

Por G1