O Presidente Jair Bolsonaro em um dos seus momentos preferidos com apoiadores na saída do Alvorada. Foto Antonio Cruz/Agência Brasil

FALAS INTEMPESTIVAS

Por Jeverson Missias de Oliveira *

 

O presidente Jair Messias Bolsonaro, desde os primórdios, como deputado federal, não consegue pensar para se expressar.

É comum soltar frases de impacto, algumas desconexas e muitas vezes, agressivas.

Ontem dia 17 de maio, no tradicional encontro com apoiadores na saída do Alvorada, foi questionado por um dos presentes, se não tinha sido imprudente o ato realizado no dia 15 na esplanada dos ministérios, que provocou uma aglomeração de milhares de pessoas sem máscara e por conseguinte, sem os cuidados de biossegurança. A resposta foi seca:

‘Tem alguns idiotas que até hoje ficam em casa’, e aproveitou para enaltecer os produtores rurais que estavam lá em grande quantidade.

“Se o campo tivesse ficado em casa, esse cara tinha morrido de fome, esse idiota tinha morrido de fome”. 

Bolsonaro continua se mostrando negacionista.

Parece que o presidente se esqueceu das mais de 436 mil pessoas que perderam a vida para a covid. Será que se foram por terem sido idiotas ao ficar em casa ou foram contagiados por algum idiota negacionista que saiu de casa, sem os cuidados necessários?

Ele, não deve se lembrar tambem, que por sua inércia em autorizar a compra de imunizantes, hoje, menos 20% dos brasileiros estão vacinados.

E vocês estão acompanhando, comprar vacinas nos dias atuais, é como garimpar.

Percebe-se que o governo está nervoso, enfrenta uma C.P.I. No senado da república, por omissões e falhas na gestão da pandemia pelo seu ex-ministro da saúde Eduardo Pazuello.

Pazuello, graças a um habeas corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal, irá adotar a prática de entrar mudo e sair calado na oitiva pela comissão parlamentar, que está programada para acontecer durante essa semana. Mais precisamente na quarta-feira, dia 19.

Essa estratégia, segundo alguns avaliadores, poderá estar confirmando algumas das acusações a ele atribuídas.

Voltando ao presidente, penso, ser uma minoria dos brasileiros que admiram essa postura agressiva, de falsa simplicidade que Bolsonaro insiste em manter.

Sabemos das dificuldades que os governantes de todos os países estão enfrentando nesse período de mais de um ano de pandemia. No Brasil a situação não é diferente, temos consciência disso.

Mas, imagino que ele estaria sim, agradando a maioria da população, se suas falas não fossem intempestivas. Fossem menos pelos agressivas, dignas de um presidente do mais importante país sul americano.

* Jeverson Missias é Economista, Bacharel em Direito, Especialista em Administração Pública e Ciências Políticas, Radialista e Jornalista, Editor desse site.

 

 

VEJA VÍDEO NO YOU TUBE COM ESSE CONTEÚDO: