• Home
  • Artigos
  • Existe relação entre o Intestino e Doenças Cardiovasculares?
Doenças inflamatórias intestinais podem aumentar chances de infarto e o microbioma afeta a saúde do coração Imagem: iStock

Existe relação entre o Intestino e Doenças Cardiovasculares?

Por Dr.André Castro

Há poucos dias recebi essa provocação, então decidi escrever um texto sobre o assunto.

A resposta para a provocação é SIM, EXISTE e isso já está bem documentado na literatura científica médica.

Uma Revisão Sistemática e Meta-Análise (a Meca dos estudos científicos médicos, que envolveu 26.167 pessoas em 17 estudos clínicos), publicada no European Heart Journal em 2017 considerou o Óxido de Trimetilamina um BIOMARCADOR de Risco Cardiovascular.

Outro estudo, este publicado na New England Journal of Medicine em 2013 com o tema “Intestinal Microbial Metabolism of Phosphadylcholine and Cardiovascular Risk” já demonstrara tal relação.

Mas como se forma no organismo este óxido de trimetilamina?

Uma microbiota (conjunto de microorganismos que vivem e colonizam o tubo digestivo dos seres humanos) desequilibrada pode gerar uma condição conhecida como “Leaky Gut”, ou “intestino gotejante, vazado”.

Quando essa condição se faz presente, a metabolização de aminoácidos como a COLINA e a CARNITINA por parte destes agentes microbianos poderá fazer aparecer um metabólito denominado TRIMETILAMINA.

Essa TRIMETILAMINA, ao penetrar por essa lacuna entre as células intestinais e cair na corrente sanguínea, chegará ao FÍGADO, onde será convertida a ÓXIDO DE TRIMETILAMINA pela enzima Flavina-Monoxigenase.

Esse Óxido de Trimetilamina é ATEROGÊNICO, ou seja, induz a formação de PLACAS DE ATERÔMA, que aumentam muito o risco de DOENÇAS CARDIOVASCULARES, tais como Infarto do Miocárdio e Insuficiência Coronariana, Tombose, dentre outros.

Assim, a adequada PREVENÇÃO DAS DOENÇAS CARDIOVASCULARES não pode se basear APENAS na REDUÇÃO do COLESTEROL (isso é insuficiente).

Tal prevenção necessita passar por profunda alteração do ESTILO DE VIDA que possa reverter o LEAKY GUT, além da adequada MODULAÇÃO INTESTINAL a fim de reequilibrar a FLORA MICROBIANA INTESTINAL.

* Dr. André Castro é
+ Médico com Residência em Clínica
+ Pós-graduando em Geriatria
+Emagrecimento/Performance
+Longevidade/Implantes Hormonais
+Lifestyle Coach

http://instagram.com/dr_andrecastro
drandrecastro.blogspot.com.br