• Home
  • Polícia
  • Bope localiza fuzis e centenas de munições de organização criminosa
- Foto por: Bope/PMMT

Bope localiza fuzis e centenas de munições de organização criminosa

Em Cuiabá, na tarde desta segunda–feira (01.06), policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais da Polícia Militar (Bope) localizaram e apreenderam dois fuzis, sendo um Colt calibre 223 e outro AK47 7,62×39, mais de 270 munições e vários carregadores que se encontravam enterrados entre folhagens e galhos secos em uma área de mata.

Esse material bélico foi deixado por integrantes da organização criminosa que roubaram uma caminhonete Hilux e alvejaram um policial militar do Batalhão Rotam, no dia 25 de maio, na capital durante confronto na região do Coxipó do Ouro. Nessa ação um suspeito acabou.

Desde o dia da ocorrência, 25 de maio, equipes especializadas da PM seguiram em diligências na região do Distrito do Coxipó fazendo buscas a outros membros da quadrilha suspeita da explosão e roubo de caixas eletrônicos e de estar planejando outros crimes.

Em continuidade a ocorrência, por volta das 15h, policiais do Bope ampliaram as buscas e durante a varredura em uma região de chácaras próxima ao bairro Osmar Cabral encontraram os dois fuzis, carregadores e munições.

O comandante do Bope, tenente-coronel Ronaldo Roque da Silva, destaca que esses armamentos, além possuírem um poder elevado de letalidade, tenham sido utilizados em outros eventos criminosos em Mato Grosso. Agora, observa Roque, possibilitarão trabalhos investigativos e periciais que possam comprovar a ligação com outros crimes.

O TC Roques assinala essa apreensão, associada à prisão dos criminosos, assim como outras apreensões realizadas no dia da referida ocorrência, dia 25 de maio, causaram uma baixa significativa a essa organização criminosa e ao mesmo uma resposta rápida do aparato de Segurança Pública, especificamente a Polícia Militar, inibindo a incidência de ações dessa natureza no Estado.

Os fuzis e demais materiais foram entregues no plantão do Cisc Verdão e deverão fazer parte de investigações que estão sendo desenvolvidos pela Polícia Judiciária Civil, por meio do GCCO (Grupo de Combate ao Crime Organizado).

 

Informações do Governo de Mato Grosso