• Home
  • Artigos
  • Em tempos de reclusão é melhor focarmos na solução
Foto: Shutterstock

Em tempos de reclusão é melhor focarmos na solução

Por Alexandre Xavier

Vivemos uma histeria mundial e o que mais é preocupante é que os impactos estão fora de controle e são muito maiores do que o próprio Coronavírus. Estamos falando de saúde pública sim, mas também de um efeito dominó que vai muito além dessa pandemia.

Qual será o resultado deste confinamento? O que ele realmente está fazendo com todos nós e com o nosso país?

A questão é que temos que nos isolar e ao mesmo tempo, nos unir em causas muito maiores e que precisam da sua, da minha, da nossa e da participação de todos. Sim, estou falando do efeito pós-pandemia, pois acredite – vai passar!

É certo que o efeito dominó é uma realidade que já temos que nos preocupar. Haverá desemprego em massa e será de uma forma tão grave que até mesmo o vírus vai se tornar insignificante com relação às mortes de empresas e profissionais.

Especialistas começam a se perguntar o que faremos para imunizar a sociedade como um todo e de maneira eficaz. O que acontecerá com as próximas gerações? Precisamos achar meios de curar e isso só será possível, se agirmos imediatamente e preventivamente. Se não for assim, o colapso será pior do que a doença causadora dele.

Friedman é um epidemiologista e co-diretor do Centro de Inovação em Meta-Pesquisa de Stanford e diz que a taxa de mortalidade do coronavírus é incerta, porém ao que tudo indica está próximo de 1% ou ainda menor.

O que quero chamar a atenção é que outras epidemias continuam matando com índices muito maiores: dengue; sarampo; gripe; fome – isso mesmo, a fome continua matando e se não cuidarmos, o tal do “efeito dominó” vai ampliar dados de forma avassaladora.

Fato é que precisamos nos unir já! Ficar confinado dentro de casa, tem o desdobramento econômico. Afinal de contas essa crise está fechando empresas e acarretando desemprego em massa, o que gera além da frustração o desespero das famílias, e nisso eu dou ênfase nas mais necessitadas onde suas contas são as necessidades básicas.

Os menos favorecidos, que já sofrem há gerações com taxas de mortalidade mais altas, serão os mais prejudicados e provavelmente os menos assistidos e eles estão na maioria das vezes empregadas em comércios próximos a sua casa, nas suas comunidades e não podem perder seus empregos.

Mas e aí, existe algum caminho a se seguir? Sim existe e quero propor a você a se unir para minimizar esses efeitos e prevenir de alguma forma as consequências deles. Listo algumas ações que considero prioritárias, mas tenho certeza que você também tem outras ideias e que pode contribuir colocando aqui nos comentários as mesmas. Vamos fazer uma grande lista Do Bem?

Vamos continuar reclusos e salvar tantas vidas quanto possível, garantindo que o sistema de saúde não entre em colapso, mas também vamos atingir outros objetivos, tais como minimizar o desemprego e melhorar nossa saúde emocional. Para tanto…

  1. Vamos manter a economia local continuando consumindo das pequenas empresas próximas a nossa residência;
  2. Manter a saúde emocional se afastando de toda essa enxurrada de notícias maléficas disseminadas pela mídia. Aproxime-se de boas notícias.
  3. Faça áudios conferências com familiares e amigos – ligue seus aplicativos de mensagens em módulo imagem e converse sobre coisas boas que elevem suas vibrações e energias.
  4. Aproveite o momento para ler e fazer cursos online de áreas que você gosta e também, outras que será nova para você. Isso te abrirá a mente para novas possibilidades e oportunidades de quem sabe empreender depois da crise.
  5. Junte sua família e faça uma lista sobre o que sabem fazer, o que gostariam de fazer e o que poderiam fazer depois da crise, que aumentaria a renda familiar e tivesse o engajamento de todos, cada um fazendo uma parte.

Você vai ver que podem surgir novas possibilidades e oportunidade com esses pequenos passos imediatos.

A prevenção muitas vezes evita a doença e traz curas que antes pareciam impossíveis. O Isolamento é para todas as pessoas que possuem mais, ou menos riscos de morte. Precisamos é trabalhar a prevenção nos danos de longo prazo, ou seja, que esse momento nos una e faça com que tratemos toda a população de uma forma diferente e que assim, minimizemos não os problemas deles, mas os de todos nós.

“É fresquinho porque vende mais, ou vende mais porque é fresquinho?” Lembra da Síndrome de Tostines?

Antes que diga que a saúde é mais importante do que a economia, ou vice-versa, te digo que nossa saúde depende diretamente da nossa economia, afinal de contas, com o desemprego e as pessoas sem dinheiro iremos entrar em uma crise ainda maior, e teremos muito mais doentes e mortos no longo prazo, com empresas se fechando, desemprego aumentando, fome se alastrando, violência aumentando dentre tantos outros fatores desse efeito dominó.

Espero de verdade que de alguma forma seus pensamentos tenham mudado e que essa crise atual seja apenas uma grande alavanca para acabarmos de uma vez, do isolamento que vivíamos antes e não sabíamos.

Hoje temos a mais absoluta certeza que a reclusão é a ponte que faltava para criarmos uma passagem para um belo e harmonioso futuro da humanidade.

Um grande abraço

 

Alexandre Xavier é criador do método SOS.
Contatos: Alexalexavierf10@gmail.com.