Foto Reprodução

Ortopedistas lançam campanha para ajudar na redução de acidentes no carnaval

A SBOT-MT acredita que o comportamento e a consciência do motorista são fundamentais para uma direção segura

Dados do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) mostram que a velocidade excessiva ou inadequada, e a associação de álcool e direção são fatores de risco que aumentam a probabilidade de acidente de trânsito, segunda maior causa de mortes no país com um total de 35,3 mil pessoas, em 2017. Em 2019, os casos de invalidez representaram a maioria dos benefícios pagos, 67%, o correspondente a 235.456 indenizações, conforme dados da última edição do Boletim Estatístico da Seguradora Líder. Com o objetivo de conscientizar foliões que bebida alcoólica e direção não combinam, a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, Regional de Mato Grosso (SBOT-MT) lançou a campanha “Carnaval sem Traumas”.

Com o tema “Diversão, saúde e segurança. O melhor bloco deste carnaval”, a instituição pretende mais uma vez orientar os foliões que a embriaguez ao volante é um risco e pode causar muitos acidentes. O álcool é responsável por 65% dos acidentes nas estradas e no período de carnaval esse índice aumenta entre 20% e 30%. Seu consumo afeta as habilidades cognitivas e de coordenação, diminuindo os reflexos.

Conforme a SBOT-MT, os acidentes de trânsito constituem um tema prioritário, visto que não só vêm ceifando vidas, mas também é um gerador de sequelas muitas vezes irreversíveis, causando impactos importantes na vida pessoal, familiar e laboral do acidentado.

Para o presidente da SBOT-MT, Dr. Renam Bumlai, a educação para o trânsito é a solução, uma vez que acidentes de trânsito constituem a segunda causa de morte no Brasil, configurando questão de saúde pública. “Por isso, a campanha visa a conscientização dos motoristas sobre os riscos de acidentes ao se misturar álcool e direção. Se beber, passe a direção para um amigo ou vá de táxi e esteja sempre atento”, adverte.

Além disso, a SBOT-MT também alerta os condutores sobre o impacto invariavelmente danoso ao dirigir usando o celular. “De acordo com a legislação do trânsito vigente, os motoristas podem ser multados segurando e manuseando o celular”, ressalta o presidente da sociedade.

 

Com informações da YOD Comunicação