• Home
  • Polícia
  • Polícia Civil conclui inquérito da morte de jornalista e indicia suspeito por homicídio qualificado
Foto: https://odocumento.com.br/.

Polícia Civil conclui inquérito da morte de jornalista e indicia suspeito por homicídio qualificado

A Polícia Civil, por meio do trabalho da Delegacia Especializada de Homicídio e Proteção à Pessoa de Cuiabá), concluiu o inquérito da morte do jornalista Marcelo Leite Ferraz e indiciou o suspeito John Lenon da Silva, 21 anos, por homicídio qualificado.

De acordo com o delegado Fausto Freitas da Silva, que conduziu as investigações, a vítima foi morta em decorrência de um desentendimento pelo uso de entorpecente. O indiciado acreditou, inicialmente, que a vítima teria dinheiro para comprar drogas, mas se indignou quando viu que Marcelo não trazia dinheiro consigo.

Depoimento de uma das testemunhas localizadas pela DHPP, e que seria namorada do indiciado, apontou que no dia do fato ela estava com John Lenon e mais outro usuário de drogas próximos da Avenida Rubens de Mendonça. Em certo momento, John saiu do local e retornou com a vítima, denominando Marcelo de ‘cheque ouro’, uma designação utilizada por usuários de drogas da região. para nominar pessoas de poder aquisitivo.

Em seguida, o grupo se deslocou até o terreno baldio, local onde depois o jornalista foi encontrado morto. Contudo, conforme apurado nas investigações, o suspeito de desentendeu com a vítima depois de ver que ela não possuía valores em dinheiro, e cometeu o crime.

Quando foi preso, na mesma semana em que ocorreu o crime, John Lenon confessou a morte do jornalista e alegou que praticou o crime porque encontrou a namorada em ato libidinoso com a vítima, afirmação que foi desmentida pela namorada dele, que saiu do terreno baldio antes do crime.

A versão apresentada pela namorada do suspeito foi confirmada por meio de provas, inclusive, imagens de câmeras na região do crime, e de outra testemunha, também ouvida pela polícia.

“A versão de que o indicado cometeu o crime porque viu a namorada em ato libidinoso com a vítima comprovadamente não se sustentou após as investigações realizadas”, disse Fausto Freitas.

O delegado afirmou ainda que a hipótese de abuso sexual foi descartada. “Com relação à eventual violência sexual, não confirma, pois com base em circunstâncias, a hipótese mais provável é de que as vestimentas da vítima estavam bagunçadas, pois o suspeito tentou buscar valores em dinheiro que a vítima pudesse ter no corpo, mas ele não portava cartões ou dinheiro”, destaca o delegado, informando ainda que no local do crime foi encontrada apenas a carteira de identidade profissional que ele portava.

John Lenon teve a prisão temporária convertida em preventiva na última semana e ficará detido durante o curso do procedimento criminal. A prisão foi deferida pelo juiz Flávio Miraglia, da 12ª Vara Criminal de Cuiabá.

O inquérito foi remetido ao Ministério Público Estadual.

Caso

O jornalista Marcelo Ferraz Leite foi encontrado morto no dia 30 de setembro, em um terreno baldio próximo ao viaduto da Avenida Rubens de Mendonça, no bairro Bosque da Saúde. O corpo tinha sinais de violência física e foi reconhecido pelo pai da vítima, que havia registrado o desaparecimento do filho no dia 28 de setembro, depois que ele saiu de casa e não mais retornou.

No dia 02 de outubro, a Polícia Militar localizou John Lennon da Silva no bairro Baú, em Cuiabá, depois de receber informações de testemunhas onde ele estaria, e o conduziu à DHPP.

Marcelo Ferraz morreu em decorrência de traumatismo craniano causado por objeto contundente (uma pedra).

 

 

Informações da Polícia Judiciária Civil