• Home
  • Geral
  • Presidente afastado da Vale diz que nunca recebeu informações sobre problemas em Brumadinho
Fábio Schvartsman foi ouvido por senadores em sessão da CPI de Brumadinho — Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Presidente afastado da Vale diz que nunca recebeu informações sobre problemas em Brumadinho

O presidente afastado da mineradora Vale, Fábio Schvartsman, afirmou nesta quinta-feira (28) que nunca chegou a ele nenhuma denúncia de que havia problema na segurança da barragem da Mina do Feijão, em Brumadinho (MG). A estrutura rompeu em 25 de janeiro, deixando, até o momento 216 mortos e 88 desaparecidos

Schvartsman foi ouvido na CPI de Brumadinho, instalada no Senado com o objetivo de investigar causas da tragédia e os responsáveis.

“No caso de Brumadinho, posso afirmar categoricamente, que nunca chegou a mim nenhuma denúncia, nem pelos canais oficias da empresa, nem uma denúncia anônima”, afirmou.

Ele explicou que a Vale tem canais de denúncia, por meio dos quais pode ser feita uma declaração anônima sobre eventuais problemas, o que, segundo ele, não ocorreu no caso de Brumadinho.

Schvartsman afirmou ainda que foi infeliz quando, em audiência na Câmara, disse que a Vale não pode ser punida por eventuais responsabilidades.

“Com relação a minha frase da Vale não poder ser condenada, foi uma escolha infeliz. Ela pode, como deve, quando for caracterizada a sua culpa. Não acho em absoluto que devam evitar que isso seja feito”, afirmou.

Construção do refeitório

Na CPI, Schvartsman foi questionado sobre o motivo de a área administrativa da mina, como o refeitório, ter sido construída abaixo da barragem, o que é apontado como um dos motivos para o grande número de vítimas.

O presidente afastado da Vale afirmou que quando a empresa comprou a mina a estrutura já estava construída.

“Se eu tivesse qualquer informação de qualquer risco, de qualquer tipo, eu poderia dar graças a Deus de tirar aquilo de lá. Eu faço minha a sua indignação. Se não fiz foi absolutamente por falta de informação a respeito e por confiança em uma área técnica hiperqualificada”, disse.

Não sabe o responsável

Durante a reunião da CPI, Schvartsman foi muito criticado por senadores por afirmar que não sabe quem é o responsável pelo rompimento da barragem de Brumadinho. Senadores chegaram a chamar o Schvartsman de “presidente decorativo”.

“O fato de eu ser presidente da companhia não me faz onisciente. Não me faz conhecedor de tudo que acontece na companhia”, disse. “Certamente não posso apontar uma pessoa que eu não sei quem é”, afirmou Schvartsman.

Por Laís Lis, G1 — Brasília