• Home
  • Polícia
  • Polícia Civil indicia associação criminosa responsável por furtos de mais de R$ 350 mil em produtos de empresa

Polícia Civil indicia associação criminosa responsável por furtos de mais de R$ 350 mil em produtos de empresa

Uma associação criminosa responsável por vários furtos qualificados em comércios de Várzea Grande foi identificada em investigações da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos do município (Derf-VG). O inquérito policial, coordenado pelo delegado Afonso Monteiro da Silva Júnior, concluído na última sexta-feira (08.03), identificou oito pessoas envolvidas nos crimes, que resultaram no prejuízo de mais de R$ 350 mil somente a empresa Ricardo Eletro.

De acordo com o delegado da Derf-VG, o grupo criminoso possivelmente é responsável por furtos a outros estabelecimentos comerciais de Várzea Grande e Cuiabá e é investigado em outros procedimentos instaurados na Derf-VG.  Na conclusão do inquérito, todos os suspeitos foram indiciados pelos crimes de furto qualificado, associação criminosa e receptação.

Três dos identificados, Eduardo Gonçalo dos Santos, o “Gonçalo”, Vinícius Alexandre de Queiroz, conhecido como “Mussum” e Evandro Fernando de França Dias, o “Vandinho”, tiveram mandados de prisão cumpridos, na operação “Maktub”, deflagrada pela Def-VG, no dia 27 de fevereiro . Entre os outros cinco indiciados, três estão com ordens de prisão preventiva decretadas pela Justiça com base nas investigações.

O trabalho investigativo que desarticulou a associação criminosa iniciou para apurar três ocorrências de furtos contra a empresa Ricardo Eletro, localizadas no Centro e no bairro Cristo Rei, em Várzea Grande. Os furtos ocorridos entre os meses de setembro e outubro de 2018, eram realizados durante a madrugada, ocasião em que os criminosos faziam buracos nas paredes para entrar nos estabelecimentos. Nas ações criminosas, foram subtraídos vários aparelhos eletrônicos, entre eles, centenas de celulares, televisores e eletrodomésticos, avaliados em mais de R$ 350 mil.

“O inquérito policial foi instaurado e através de minuciosas diligências foi possível verificar que os furtos eram cometidos sempre da mesma forma. Com a análise de imagens, checagens de veículos, oitivas formalizadas, relatórios policiais e demais elementos contidos nos autos, chegamos aos indícios que comprovam o envolvimento dos sete suspeitos identificados”, destacou Afonso.

Diante das evidências, o delegado representou pelos mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão contra  os integrantes da associação criminosa, sendo deferidas 12 ordens judicias (6 mandados de prisão e 6 de buscas) pela 4ª Vara Criminal de Várzea Grande, que foram cumpridas na operação da Derf-VG.

Na ação, além  do cumprimento as ordens de prisão contra os suspeitos,Eduardo Gonçalo dos Santos, Alexandre de Queiroz e Evandro Fernando de França Dias, foram apreendidos diversos aparelhos celulares, possivelmente produto dos roubos, que passarão por perícia.

“É de suma importância as prisões, bem como a identificação das autorias dos suspeitos, os quais possuem diversas passagens policiais, deram grandes prejuízos a estabelecimentos comerciais de Várzea Grande e tinham como meio de vida a prática de todo tipo de ilícitos”, destacou o delegado.

 

 

Com informações da Assessoria de Comunicação Social/PJC