• Home
  • Política
  • Pinheiro rebate noticia de site. Estão plantando “fakenews”

Pinheiro rebate noticia de site. Estão plantando “fakenews”

Em sua página no Facebook o prefeito Emanuel Pinheiro(MDB) afirma “ser falsa” a matéria veiculada por um site de Cuiabá sobre uma possível reunião triangulada por ele entre o Procurador Paulo Prado e o deputado Dr.Leonardo Albuquerque(SD). Veja na íntegra a nota publicada

 

*NOTA DE ESCLARECIMENTO*

A respeito da matéria “Emanuel Pinheiro promove reunião secreta na Prefeitura entre deputado Leonardo e Paulo Prado” veiculada pelo site PNB Online sobre uma suposta reunião ontem (16) com o deputado Dr. Leonardo Albuquerque e o ex-procurador-geral de Justiça, Paulo Prado, esclareço:

1) Nunca houve nenhuma reunião sigilosa no meu gabinete;

2) O deputado federal eleito Leonardo Albuquerque esteve em reunião – previamente agendada há mais de 15 dias – comigo para tratar de assuntos partidários, pois o referido parlamentar é do Solidariedade, partido que faz parte da base da nossa gestão. O deputado também veio se colocar à disposição para trabalhar por Cuiabá na busca de recursos e soluções que melhorem a qualidade de vida dos cidadãos;

3) O ex-procurador-geral Paulo Prado se encontra em viagem para São Paulo desde o dia 12/01 com previsão de retorno apenas no dia 20/01 conforme ele mesmo já declarou e comprovou. (Veja anexo);

4) A matéria produzida pelo site acima citado afirma que o prefeito Emanuel Pinheiro tinha motivos pessoais para solicitar intervenção em decisões do Ministério Público Estadual (MPE). Essa afirmação é maldosa e mentirosa, pois tenho extremo respeito pelo MPE e a absoluta certeza da imparcialidade dessa íntegra instituição.

Diante disso, repudio a intenção do jornalista/veículo em “plantar” essa Fake News a seu respeito, com o intuito deliberado e gratuito de prejudicar a administração municipal e seu gestor, o que considero falta de ética profissional dos mesmos. Lembrando que o bom jornalismo é feito para informar a sociedade e não criar factoides que possam confundir a população.