• Home
  • Política
  • Cidinho Santos faz discurso emocionado ao se despedir do Senado
Senador Cidinho Santos (PR/MT) em seu discurso de despedida das atividades parlamentares (Foto Pedro França / Agência Senado)

Cidinho Santos faz discurso emocionado ao se despedir do Senado

O senador Cidinho Santos (PR/MT) usou da tribuna do Senado Federal nesta quarta-feira, 19, para fazer uma prestação de contas do seu mandato e se despedir das atividades legislativas. “Nem em meus melhores sonhos poderia imaginar que um dia pudesse galgar cargo tão significante. Me despeço desta Casa com orgulho e respeito e com a esperança de ter feito um bom trabalho. Saio momentaneamente da política com a sensação de dever cumprido e de cabeça erguida”, afirmou o senador.

O parlamentar relembrou a origem humilde, de uma família de retirantes nordestinos que se mudaram para o Paraná e, posteriormente, para o Mato Grosso. Cidinho Santos foi prefeito de Nova Marilândia, presidente da Associação Mato-grossense de Municípios, secretário de estado e senador.

“Quero agradecer a Deus pela oportunidade ímpar que tive em servir ao meu querido estado de Mato Grosso e ao meu País como Senador da República. Agradecer à minha família que sempre me apoiou e incentivou. À minha equipe de gabinete aqui em Brasília e lá no estado”, disse.

“Saio da política com a sensação de dever cumprido”

Cidinho Santos é suplente do ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, e assumiu o mandato em três oportunidades: entre agosto e dezembro de 2012, março e julho de 2014, e definitivamente a partir de maio de 2016. Nesse período, o parlamentar apresentou 53 projetos de lei, um projeto de resolução e um projeto de decreto.

Em seu discurso, o senador destacou o PLS n° 221/2017, que pune o passageiro que estiver em um carro conduzido por um motorista embriagado ou sob efeitos de entorpecentes, o PLS nº 236/2017, que estimula a contratação de pessoas com mais de 55 anos, e o PLS nº 480/2017, que concede registro e do porte de arma de fogo para os cidadãos que preencham os requisitos legais, sem a necessidade da comprovação de necessidade.

“Ressaltando aqui que não defendemos a liberação de armas como solução para o problema se segurança pública do Brasil: ao contrário dos defensores do desarmamento civil, entendemos não haver uma relação direta de causalidade entre o número de armas de fogo em circulação e o número de crimes violentos”, afirmou o senador.

Dentre as 113 matérias relatadas por Cidinho, ele destacou a sugestão popular que dá isenção de impostos para que professores da rede pública possam comprar automóveis e o projeto de lei que institui a política de preservação do bioma Pantanal. O senador também é o responsável pelo requerimento de urgência para aprovação do Renovabio, política nacional de estímulo à produção de biocombustíveis e teve papel fundamental na aprovação da Reforma do ISS, que mantem o imposto cobrado no município de origem.

Trabalho conjunto

Cidinho Santos ressaltou que a prioridade das emendas parlamentares do seu mandato foram para a saúde, agricultura familiar e infraestrutura. Foram mais de R$ 100 milhões viabilizados municípios e entidades de Mato Grosso, como a Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá.

O parlamentar ainda destacou o trabalho conjunto da bancada federal pela melhoria da logística do Mato Grosso. Dentre as obras citadas estão a duplicação da BR 364/163 no trecho de Rondonópolis até Cuiabá e no trecho de Rosário Oeste até o Posto Gil, o avanço da pavimentação da BR 163 até Miritituba no Pará, a chegada da Ferronorte até Rondonópolis, a garantia de recursos para as obras da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (FICO) até Água Boa e a conclusão dos estudos para implantação da Ferrogrão.

“Somos uma potência e a logística é uma preocupação. Mato Grosso produziu esse ano 60 milhões de toneladas de grãos. Nos próximos 5 anos a previsão é de produzir 100 milhões de toneladas, o equivalente a produção de uma Argentina”, disse.

Homenagens

O senador reservou parte do seu discurso para homenagear pessoas importantes na sua caminhada. Receberam agradecimento especial os pais e os irmãos, a esposa, Marli Becker, as filhas Ana Gabriele e Ana Lívia, o ministro Blairo Maggi e o ex-senador Jonas Pinheiro.

“Eu queria concluir os agradecimentos ao então Ministro Blairo Maggi, que foi uma pessoa que viu em mim, talvez, um potencial e uma capacidade que nem eu mesmo teria visto. Considero Blairo Maggi um irmão mais velho, devo muito a ele. Muito obrigado pelo exemplo de caráter, retidão e honradez”, disse. “E, para finalizar, também quero homenagear o padrinho político meu e do Blairo, que é o senador Jonas Pinheiro. Foi um ícone, defensor da agricultura do Mato Grosso e do Brasil, a minha homenagem também! Estou muito feliz por ter passado aqui no Senado e sentado nessa cadeira que foi de Jonas Pinheiro”.

Cidinho também foi homenageado por colegas senadores que acompanhavam o discurso. Os senadores Otto Alencar (PSD/BA), Ivo Cassol e Guaracy Silveira (DC/TO) elogiaram a postura de Santos durante o mandato no Senado.

“Vossa Excelência contribuiu muito no Senado Federal. Tem um comportamento muito correto, uma capacidade laborativa muito grande. Fez um trabalho à altura do que fez Blairo Maggi. Parabéns pelo seu desempenho eficiente”, afirmou Otto. “Vossa Excelência foi extraordinário, contribuiu, ajudou, e o Blairo Maggi, com certeza, está muito orgulhoso do suplente que aqui deixou”, disse Cassol.

“Nosso tempo de conhecimento pessoal é curto, mas não se mede a profundidade de uma amizade, de uma admiração, de um respeito por sua longevidade, mede-se por sua intensidade. E foi muito bom partilhar com Vossa Excelência aqui a sua sabedoria, o seu companheirismo, a sua amizade e a sua competência como senador”, disse o senador Guaracy.

 

 

Por Ohanna Patiele – Senado da República