Notícias boas na educação em Cuiabá

Por Vinicius de Carvalho *

Fiquei animado com algumas boas notícias que tivemos na educação de Cuiabá.  A primeira delas foi a nota da rede municipal no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que registrou 5,7 em 2017. O resultado projetado pelo Instituto de Pesquisas Anísio Teixeira (INEP) do Ministério da Educação para este ano em Cuiabá era de 5,3 e do de 2019 era de 5,6 e foram ambos.

O IDEB tem sido utilizado há mais de dez anos como um indicador sintético para a educação básica, reunindo aprendizado dos estudantes em algumas disciplinas por meio da Prova Brasil e também o fluxo de matrículas, enfatizando acesso e permanência na escola. Ele tem sido imporrtante pela comparabilidade no tempo e no espaço. Ou seja, é possível comparar os resultados de Cuiabá com outros municípios e também ao longo dos anos. A série histórica mostra que a capital de Mato Grosso registrou resultado de 4,1 em 2007 e 5,7 agora em 2017. Isto significa dizer que evoluímos cerca de 40% neste indicador no intervalo de uma década. Houve escolas que tiveram salto de 23% apenas de 2015 para 2017, como Floriano Bochenek. Se esse ritmo for mantido em mais alguns anos nos aproximaremos dos municípios com melhor resultado neste indicador, como Sobral no Ceará que registrou 9,1 este ano.

Uma das vantagens do IDEB também é desagregar os resultados ao nível de cada escola, como forma de medir o desempenho e entender os fatores críticos de sucesso. Em Cuiabá 33 escolas das 45 mantiveram ou superaram o resultado de 2016. A escola Ana Tereza Krause registrou o índice 8,0, o que a colocaria perto dos melhores municípios do Brasil.

Este resultado é fruto de uma verdadeira política pública que atravessou várias administrações municipais, com diversos secretários. Esforços mais evidentes neste sentido começaram na gestão Wilson Santos e prosseguiram com Francisco Galindo e Mauro Mendes.  Ele derivou da combinação de vários fatores, incluindo os cuidados com toda a gestão de pessoas dos professores envolvendo remuneração e profissionalização, os aspectos pedagógicos, o gerenciamento para melhor alcance de metas, a estrutura física e outros.

A gestão Emanuel Pinheiro vem dando sua contribuição ao investir nas instalações escolares, na remuneração e na capacitação dos professores.  Vale destacar também a metodologia da inteligência emocional que vem sendo introduzida nas escolas de forma gradativa. Isto me leva à segunda boa notícia. Só neste ano houveram vários eventos de capacitação com a presença de personalidades de renome nacional como Augusto Cury e também a filósofa Viviane Mosé.

A palestra dela realizada durante o II Seminário de Educação num hotel de Cuiabá tinha como título “Os desafios dos Educadores na construção de uma escola democrática e humana na contemporaneidade” cujo foco era compreender os impactos da sociedade moderna na educação. Como a palestrante enfatizou em vários momentos tivemos mudanças sociais, econômicas e tecnológicas muito intensas nos últimos anos e o impacto disto sobre as crianças foi grande e as deixou numa espécie de vazio. Os pais vêm culpando a escola por tudo mas, na verdade, o grande vilão seria a falta de sentido de vida das crianças e a pouca presença dos adultos, com a tecnologia assumindo o papel de babá eletrônica. A escola tem o desafio de formar seus estudantes para atuar num mundo cada vez mais intensivo em conhecimento e tecnologia e também exige-se dela questões que são mais apropriadas para a família. Segundo Mosé “ética não se ensina. Ética se pratica”.

Fica aqui meu reconhecimento à Secretaria Municipal de Educação pelos bons resultados.

Vinicius de Carvalho Araújo é Professor universitário, Analista político e Gestor governamental.