• Home
  • Comportamento
  • Baleado por coronel da PM recupera parte da visão e realiza sonho de se casar, em Goiânia
Por Paula Resende, G1 GO 19/08/2018 08h46 Atualizado há 1 hora Baleado por PM realiza sonho de se casar, em Goiânia

Baleado por coronel da PM recupera parte da visão e realiza sonho de se casar, em Goiânia

Há nove meses, João Lenon de Freitas foi atingido por disparo enquanto dirigia, na capital. Policial achou que ele era um assaltante e atirou.

Por Paula Resende, G1 GO

Nove meses após ser baleado, no trânsito, por um coronel da Polícia Militar, o repositor João Lenon de Freitas, de 27 anos, realizou o sonho de se casar com a operadora de caixa Paula Pires de Almeida, de 25, em Goiânia. O jovem, que não conseguia enxergar depois do incidente, recuperou parte da visão após passar por uma cirurgia. Com a melhora dele, o casal resolveu formalizar a união, no sábado (18).

“Coração está batendo forte”, disse o jovem.

João Lenon e Paula namoravam há quatro anos. Eles já moravam juntos e têm um filho de 2 anos. De acordo com a jovem, eles planejavam se casar no cartório antes do incidente. Porém, tiveram de adiar os planos.

“A gente está muito feliz. É a realização de um sonho, sempre quisemos nos casar”, afirmou Paula.

João Lenon de Freitas realiza o sonho de se casar com Paula Pires de Almeida, em Goiânia, Goiás (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera)João Lenon de Freitas realiza o sonho de se casar com Paula Pires de Almeida, em Goiânia, Goiás (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera)

Incidente

O caso ocorreu em 11de novembro de 2017, na Avenida 85, no Setor Marista, na região sul de Goiânia. O carro do coronel Sérgio Ricardo Caetano seguia paralelo ao da vítima, que estava com um amigo.

No boletim de ocorrência registrado na Polícia Civil, o passageiro do veículo de João Lenon disse que bateu com o braço na lataria do carro do coronel, alegando que ele teria se aproximado demais do veículo. Em seguida, segundo a testemunha, o policial atirou.

O veículo do coronel ficou com marcas do tiro no retrovisor. Logo depois do fato, ele se apresentou à Central de Flagrantes da Polícia Civil, prestou depoimento e foi liberado.

G1 não localizou a defesa do coronel Sérgio Ricardo Caetano para comentar o caso. Em nota enviada à TV Anhanguera, a Polícia Militar ressaltou que, no dia do fato, o policial estava de folga e se apresentou à Polícia Civil, espontaneamente, logo após atirar. Atualmente, ele comanda uma unidade administrativa.

Retrovisor do carro do coronel foi perfurado por disparo, em Goiânia (Foto: TV Anhanguera/Reprodução)Retrovisor do carro do coronel foi perfurado por disparo, em Goiânia (Foto: TV Anhanguera/Reprodução)