• Home
  • Polícia
  • Foi preso o policial que matou adolescente de 16 anos em briga com rivais em 2016 em MT
Rurye Perossi, de 16 anos, foi morta a tiros quando estava com amigos na rua (Foto: Facebook/ Reprodução)

Foi preso o policial que matou adolescente de 16 anos em briga com rivais em 2016 em MT

Rurye Perossi, de 16 anos, foi morta com dois tiros no pescoço em 2016, em Sinop(MT). Um escrivão da Polícia Civil e um primo dele foram presos pelo crime.

m escrivão da Polícia Civil de 33 anos e um primo dele foram presos neste sábado (26) em Sinop, a 503 km de Cuiabá, suspeitos de serem responsáveis pela morte da adolescente Rurye Pessori, de 16 anos. O crime ocorreu em setembro de 2016, naquele município. Rurye foi morta com dois tiros no pescoço.

Em nota, a Polícia Civil confirmou a prisão dos suspeitos e afirmou que os dois devem passar por audiência de custódia.

O escrivão, por possuir curso superior, deve ser levado para o Centro de Custódia de Cuiabá. O primo dele, no entanto, deve ficar no presídio de Sinop. Nenhum dos dois teve a identidade divulgada.

O crime passou a ser investigado pela Corregedoria da Polícia Civil depois que a suposta participação do policial no crime foi denunciada.

As investigações apontam que Rurye não era o alvo do policial. Segundo a polícia, o servidor estava bêbado no dia do crime e se desentendeu com um grupo de jovens que estava no mesmo local que Rurye frequentava.

Após a discussão, o policial e o primo deixaram o local, mas retornaram depois de um tempo.

“O escrivão, por se encontrar em estado de embriaguez, e querendo se vingar ou intimidar o grupo do rapaz com quem se desentendeu, realizou disparos e um dos tiros atingiu a jovem Rurye”, diz trecho da nota polícia.

À época do crime, a polícia informou que o assassinato havia sido cometido por três homens que chegaram ao local com um carro branco.

Mulher diz em postagem que teve acesso ao inquérito que apurou a morte da filha (Foto: Facebook/ Reprodução)

Mãe diz em postagem que teve acesso ao inquérito que apurou a morte da filha (Foto: Facebook/ Reprodução)

Denúncia da mãe

Em janeiro desse ano, a mãe de Rurye denunciou nas redes sociais a possível participação do policial na morte da filha.

Na publicação, Cristiane Perossi diz que teve acesso ao inquérito através do advogado dela.

“O assassino de minha filha Rurye Perossi é um policial judiciário civil de Sinop. É o que consta no inquérito policial, que agora, depois de tanto tempo, e tantas tentativas em obtê-lo com o delegado Carlos Eduardo Muniz, que se recusou tantas vezes me fornecer, consegui através de advogado em Cuiabá”, diz a mãe em trecho da publicação.

Do G1/MT