• Home
  • Polícia
  • Polícia apura se suspeito de matar ex-namorada foi assassinado por amigo com quem pegou carona
Yone Novais e o ex-namorado Alexandre Assis (Foto: TV Anhanguera/Reprodução)

Polícia apura se suspeito de matar ex-namorada foi assassinado por amigo com quem pegou carona

Feminicídio ocorreu em Trindade e ex-namorado foi morto em Abadia de Goiás.

Preso nesta terça-feira (13), o autônomo Deyvid Rodrigues Gomes Chaves, de 28 anos, é suspeito de ajudar Alexandre Assis, de 31 anos, a matar a ex-namorada Yone Gloria da Cunha Novais, 22 anos. Ele também é investigado pela morte do próprio amigo, que ocorreu menos de uma hora depois. Segundo a Polícia Civil, o homem detido nega qualquer envolvimento nos crimes, mas confirmou ter dado carona a Alexandre.

G1 não identificou ou localizou a defesa do suspeito para comentar o caso.

Yone foi morta a tiros perto da empresa em que trabalhava como auxiliar administrativa, em Trindade, na Região Metropolitana de Goiânia. Já Alexandre é suspeito do crime e foi morto menos de uma hora depois na zona rural de Abadia de Goiás, no centro do estado.

Mulher de Deyvid, a dona de casa Vanderleia da Costa, de 28 anos, disse que a família dela é amiga da de Alexandre. Ela negou que o marido tenha envolvimento com os crimes. ” O Alexandre pediu uma carona para pegar um dinheiro, meu marido não sabia de nada”, afirmou.

Delegado Vicente Gravina disse que Deyvid foi encontrado ao lado do corpo de Alexandre por Policiais Militares e preso. O preso teria dito que acreditava estar dando carona para o amigo ir buscar dinheiro.

“Ele foi o que levou o Alexandre até o local e saiu, mas ele alega que não tinha conhecimento de nada. Depois que saiu dali, o Alexandre alegou que estava com muito dinheiro e pediu para ir na fazenda, onde o deixou e ocorreu o segundo crime”, explicou.

A Polícia Civil ainda apura a participação de Deyvid no crime. “A investigação se dá em esclarecer melhor as circunstâncias, como tudo ocorreu, se o Deyvid está realmente envolvido”, completou.

Yone Novais foi morta a tiros em frente ao local onde trabalhava (Foto: Reprodução/Facebook)Yone Novais foi morta a tiros em frente ao local onde trabalhava (Foto: Reprodução/Facebook)

Em relação à more de Alexandre, o delegado responsável pela apuração, Arthur Fleury, explicou que não há dúvidas de que se trata de uma execução. Porém, a motivação e a autoria precisam ser investigadas.

“A questão de quem o matou está meio nebulosa. Não descarto que possa ter sido o Deyvid também. Não descarto nenhuma hipótese”, afirmou.

A polícia busca pelas armas usadas nos crimes e apura, inclusive, se foi usada a mesma arma nas duas mortes. Os policiais também vão buscar por câmeras de segurança, colher o depoimento de mais testemunhas e solicitar perícia no celular da vítima.

Feminicídio

Segundo a Polícia Civil, o crime ocorreu no início da tarde desta terça-feira (13). Segundo a corporação, o ex-namorado da vítima chegou, eles conversaram um pouco, depois ele atirou contra ela e fugiu.

Irmã de Yone, Patrícia Raiane da Cunha Novaes, de 26 anos, disse não ter dúvida sobre a autoria do crime, pois uma colega de trabalho viu o ex-namorado da vítima no local do crime.

Por Paula Resende e Vanessa Martins, G1 GO