• Home
  • Justiça
  • Governador Pedro Taques estabelece prazo para conclusão da investigação contra tenente Ledur
Isadora Ledur, tenente afastada do corpo de bombeiros (Reprodução)

Governador Pedro Taques estabelece prazo para conclusão da investigação contra tenente Ledur

O governador de MT, Pedro Taques (PSDB), deliberou, nesta terça-feira (6) um prazo ao Conselho de Justificação para conclusão da investigação, no caso do processo instaurado contra Isadora Ledur Souza Dechamps, tenente do corpo de bombeiros, acusada de torturar Rodrigo Patrício Lima Claro de 21 anos. O aluno iniciante no corpo de bombeiros morreu em novembro de 2016 após treinamento aquático para simular salvamento.

O Conselho investiga a conduta da tenente Ledur desde a morte do aluno iniciante. No dia 31 de janeiro desse ano, Taques havia assinado um ato, suspendendo por 20 dias, a contar do dia 24 de janeiro, um prazo para a conclusão dos trabalhos do Conselho. Nesta semana determinou o prazo de até dia 14 de março para a conclusão da investigação. Para oficializar, a ordem foi publicada no Diário Oficial.

A suspensão do prazo já tinha sido determinada por várias vezes pelo governador. Porém a tenente gozava de licenças médicas. Essas eram consecutivas, Ledur já estava na 8º. O que impossibilitava a continuidade dos trabalhos por parte do Conselho. O processo contra Isadora Ledur tramita na 7ª Vara Criminal de Cuiabá. Mediante decisão de Taques, agora a conclusão tem um prazo estabelecido.

 

O caso

No Dia 16 de Novembro de 2016, o aluno soldado, Rodrigo Patrício Lima Claro, 21 anos, fazia treinamento aquático na Lagoa Trevizan, localizada nas proximidades entre Cuiabá e Santo Antônio de Leverger. O Treinamento tinha intuito de simular salvamento. Após ser submetido a sucessivos “caldos” (afogamento) por parte da tenente Ledur, o aluno reclamou de não estar passando bem. No momento foi dispensado e seguiu de motocicleta de volta para o batalhão.

Ao chegar na corporação o soldado informou fortes dores e foi encaminhado para a policlínica que fica localizada em frente a instituição. Rodrigo ficou internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sofreu duas convulsões e foi encaminhado em estado grave para o hospital Jardim Cuiabá. Porém não resistiu e faleceu por volta das 1h40 do dia 16 de novembro. O motivo da sua morte foi um aneurisma cerebral.

O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal, para investigação. As análises preliminares não apontaram a real causa da morte, portanto a perícia criminal exigiu exames complementares para serem realizados. A tenente foi afastada do curso de treinamento e encaminhada para o setor administrativo dos Bombeiros. Foi instaurado inquérito na Polícia Civil e Militar para se investigar a morte do soldado.

 

Por Karen Silva, da Redação.