Presidente vampiro, um dos destaques da escola Paraíso do Tuiuti. - Foto Mauro Pimentel /AFP/ElPaís

A política invade o Sambódromo no Rio

Paraíso do Tuiuti fala de escravidão, reforma da Previdência, tem presidente vampiro e ala de manifestantes fantoches. Mangueira transforma desfile em protesto contra Crivella

Ala com manifestantes fantoches na Paraíso da Tuiuti.

Com o enredo “Meu Deus, meu Deus, está extinta a escravidão?”, Paraíso da Tuiti do carnavalesco Jack Vasconcelos, trouxe uma ala com manifestantes fantoches. – Foto MAURO PIMENTEL ALA COM MANIFESTANTES FANTOCHES NA PARAÍSO DA TUIUTI.

Escola de São Cristóvão fez crítica contra a precarização do trabalho.

Escola de São Cristóvão fez crítica contra a precarização do trabalho. – Foto LEO CORREA AP

Ala de manifestantes fantoches e o famoso pato na Paraíso da Tuiuti.

Ala de manifestantes fantoches e o famoso pato na Paraíso da Tuiuti. – Foto LEO CORREA AP

Tuiuti desfilou neste domingo (11).

Tuiuti desfilou neste domingo (11).- Foto Leo Correa – AP

Carteira de trabalho teve lugar de destaque nas alas da Paraíso da Tuiuti.

Carteira de trabalho teve lugar de destaque nas alas da Paraíso da Tuiuti. Foto MAURO PIMENTEL AFP

Trabalhadores com a carteira de trabalho na Tuiuti.

Trabalhadores com a carteira de trabalho na Tuiuti. Foto MAURO PIMENTEL AFP

Integrantes da Paraíso da Tuiuti desfilam no Sambódromo.

Integrantes da Paraíso da Tuiuti desfilam no Sambódromo. Foto ANTONIO LACERDA EFE

 

Comissão de frente da Paraíso da Tuiuti trouxe o "grito de liberdade: "Não sou escravo de nenhum senhor; Meu Paraíso é meu bastião; Meu Tuiuti o quilombo da favela; É sentinela da libertação".

Comissão de frente da Paraíso da Tuiuti trouxe o “grito de liberdade: “Não sou escravo de nenhum senhor; Meu Paraíso é meu bastião; Meu Tuiuti o quilombo da favela; É sentinela da libertação”. Foto PILAR OLIVARES REUTERS

Com o enredo "Com dinheiro ou sem dinheiro, eu brinco", a Mangueira foi a penúltima escola a se apresentar no Sambódromo no Rio com crítica ao prefeito Marcelo Crivella, que reduziu drasticamente os recursos do Carnaval.

Com o enredo “Com dinheiro ou sem dinheiro, eu brinco”, a Mangueira foi a penúltima escola a se apresentar no Sambódromo no Rio com crítica ao prefeito Marcelo Crivella, que reduziu drasticamente os recursos do Carnaval. Foto LEO CORREA AP

Crivella foi transformado em um boneco de Judas pela Mangueira. Nesta segunda (12), a Beija Flor também promete trazer a política para o Sambódromo com um enredo sobre corrupção.

Crivella foi transformado em um boneco de Judas pela Mangueira. Nesta segunda (12), a Beija Flor também promete trazer a política para o Sambódromo com um enredo sobre corrupção. Foto MAURO PIMENTEL AFP

 

 

Do ELPAÍS