• Home
  • Polícia
  • Trio que ostentava armas e homicídios na web morre em confronto com a polícia
Grupo morto em confronto ostentava armas e crimes na web (Foto: Polícia Militar/Divulgação)

Trio que ostentava armas e homicídios na web morre em confronto com a polícia

Vídeos e áudios revelam ousadia dos criminosos: ‘Furar a Rotam de cima a baixo’. Outros três integrantes da facção foram presos.

Três membros de uma facção criminosa morreram em um confronto com a Polícia Militar no domingo (4), em Goiânia. Outros três integrantes foram presos. De acordo com a corporação, eles faziam parte de uma facção criminosa responsável por pelo menos sete homicídios.

Nos celulares apreendidos, a PM encontrou vídeos e áudios do grupo ostentando armas e crimes (veja acima). Em uma das gravações, um jovem ameaçava “furar a Rotam [Rondas Ostensivas Metropolitanas] de cima a baixo” caso fosse abordado.

Segundo o comandante da Rotam, major Daniel Pires Aleixo, o grupo foi desarticulado após a corporação abordar um casal, membro da quadrilha, em um carro roubado. A Rotam apurou que o carro seria usado em um homicídio. Na sequência, os policiais foram até uma casa onde os outros integrantes estavam.

Conforme Aleixo, chegando à casa, três pessoas saíram armadas atirando contra os policiais, que revidaram.

“Por este áudio, nós só temos um recado para dar a estes marginais. Se vierem com esta atitude, o destino será o mesmo dos companheiros deles: a morte”, disse o major.

Erick Rennistawber Urbano Vieira, um dos mortos no confronto, ostentava armas nas redes sociais (Foto: Polícia Militar/Divulgação)
Erick Rennistawber Urbano Vieira, um dos mortos no confronto, ostentava armas nas redes sociais (Foto: Polícia Militar/Divulgação)

O caso ocorreu no domingo. Segundo o comandante, Matheus da Silva e Gabrielen Carvalho de Araújo foram abordados após passar pela barreira policial da GO-070. Matheus teria dito aos policiais que levaria o carro até a casa onde os outros estavam, no Setor Buena Vista, na região sudoeste da capital. A corporação foi até o local, onde houve a troca de tiros.

Morreram no confronto: Erick Rennistawber Urbano Vieira, de 24 anos, Walensson Fonseca dos Reis Oliveira, de 23, e Marrony Palhano Bezerra, também de 23 anos. A PM prendeu no local Gabrielen Carvalho de Araújo, de 20 anos, e Jennifer Ferraz Barreto.

“Eles deram conta de que três pessoas que tinham participações em diversos homicídios na Região Metropolitana estavam em uma residência. Foi feito o adentramento a esta residência, onde foram identificados outros três indivíduos. No momento da identificação, eles estavam portando três armas de fogo”, contou.

Com o grupo foram apreendidos, além do Toyota Corola com registro de roubo, duas pistolas Glock 9 milímetros, sendo uma delas com carregador estendido, e uma pistola de uso da Polícia Civil.

G1 entrou em contato com a assessoria de imprensa da Polícia Civil e aguarda um posicionamento sobre a apreensão do armamento.

Os membros do grupo mortos no confronto tinham, segundo a PM, passagens por roubo, adulteração, lesão corporal, receptação, tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo.

Trio foi morto durante confronto com a Polícia Militar em Goiânia (Foto: Polícia Militar/Divulgação)
Trio foi morto durante confronto com a Polícia Militar em Goiânia (Foto: Polícia Militar/Divulgação)

Encomendas na cadeia

Os criminosos são suspeitos de cometer crimes a mando de detentos que cumprem pena na Ala B do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia. De acordo com o comandante da Rotam, o grupo é apontado como autor de pelo menos sete homicídios, a maioria deles com ligação com os presos José Constantino Júnior e Sérgio Dantas, que cumprem pena no presídio.

“A gente tem a informação de que o mando desses homicídios vinha do sistema prisional. Um preso conhecido como Juninho e outro conhecido como Serginho. A gente faz o monitoramento. As ações deles são de roubo de veículo, para conseguirem valores e conseguirem armamento para fazerem homicídios na Região Metropolitana, mas a polícia está firme para combater a criminalidade”, explicou o comandante.

G1 entrou em contato com a assessoria de comunicação da Diretoria Geral de Administração Penitenciária (DGAP) e aguarda um posicionamento sobre o caso.

  1. Wermerson Pereira da Silva, Lion Rodrigues Krauss e Gabriel Gomes Pinheiro: os três jovens foram assassinados em Goianira, no dia 22 de dezembro de 2017.
  2. Sérgio Rodrigues da Silva: morto na Vila Canaã, em Goiânia, em 28 de dezembro do ano passado.
  3. Eghon Barbosa de Araújo: crime ocorreu no último dia 9 de janeiro, no Setor Sudoeste, na capital.
  4. Danilo Rodrigues da Silva: morto a tiros na última segunda-feira (29).
  5. Gustavo Duraes de Almeida e Luany Nazaret Menez: crime mais recente em que o grupo é suspeito. Casal foi morto no sábado (3), véspera da prisão dos criminosos.
    (Fonte: Polícia Militar)

    Carro roubado foi apreendido com grupo em Goiânia, Goiás (Foto: Polícia Militar/Divulgação)
    Carro roubado foi apreendido com grupo em Goiânia, Goiás (Foto: Polícia Militar/Divulgação)

Por Murillo Velasco, G1 GO