• Home
  • Polícia
  • Menina abandonada no dia de Natal vai passar Ano Novo em abrigo

Menina abandonada no dia de Natal vai passar Ano Novo em abrigo

Criança, de 2 anos, foi encontrada somente de fralda em rua do bairro Jardim Eldorado em Sorocaba. Mãe, de 24 anos, morreu afogada na represa de Itupararanga, de acordo com laudo do IML.

A menina de dois anos encontrada abraçada em uma árvore no bairro Jardim Eldorado, em Sorocaba (SP), vai passar o Ano Novo em um abrigo da cidade. A mãe da criança, Juliana Jovino, de 24 anos, foi encontrada morta na represa de Itupararanga, em Votorantim (SP).

Em entrevista ao G1, Rosana Jovino, irmã de Julina, contou que a família já entrou em contato com um advogado para pedir a guarda da sobrinha. Porém, como os fóruns estão em recesso por causa do fim de ano, a decisão só sairá em janeiro de 2018.

“Estamos todos aflitos [na família]. Não sabemos direito o que aconteceu com a minha irmã e agora a minha sobrinha está longe da gente. Minha irmã nunca deixou minha sobrinha sozinha, sempre estava com ela. Queremos ela do nosso lado agora também”.

Como a menina não tem pai reconhecido na certidão de nascimento e a mãe foi encontrada morta, cabe a Justiça decidir se a menor será entregue aos parentes mais próximos ou permanecerá no abrigo.

Vítima foi encontrada em represa em Votorantim (Foto: Reprodução/TV TEM)
Vítima foi encontrada em represa em Votorantim (Foto: Reprodução/TV TEM)

Relembre o caso

Um morador do bairro Eldorado encontrou a menina sozinha em uma rua, somente de fralda e suja, na manhã do dia 25 de dezembro. Ele a recolheu para dentro de sua casa, deu banho e comida, em seguida chamou a Polícia Militar e a Guarda Civil Municipal.

Uma representante do Conselho Tutelar também foi ao local e conversou com a menina, que não se lembrava do nome dela e nem da mãe. Como a criança estava sem identificação, o órgão acolheu provisoriamente por proteção até a localização de parentes.

No mesmo dia, no período da tarde, o corpo de uma mulher foi encontrado na represa de Itupararanga, em Votorantim. Depois, parentes reconheceram como sendo de Juliana Jovino, de 24 anos, mãe da menina encontrada abandonada em uma rua de Sorocaba.

Um laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontou que a causa da morte de Juliana foi por asfixia por afogamento, sem lesão que motive investigação, ou seja, sem sinais de agressão.

Com o documento, a polícia mantém a linha de investigação de que Juliana morreu por afogamento acidental. O resultado do exame toxicológico e alcoólico ainda não foi divulgado.

Segundo a irmã de Juliana, ela não sabia nadar. Além de uma irmã e um cunhado, o rapaz apontado como namorado da vítima já prestou depoimento à Polícia Civil na quarta-feira (27).

De acordo com o delegado responsável pelo caso, ele disse que era, na verdade, amigo de Juliana e não estava com ela no fim de semana.

A polícia procura por um homem visto com a vítima em uma festa, no domingo (24), antes do desaparecimento, e que foi indicado por uma testemunha anônima. Segundo a irmã, o homem seria o novo ‘ficante’ de Juliana, que ela conheceu pelo Facebook.

Do G1