• Home
  • Polícia
  • Ordem para que mulheres executassem jovens saiu de dentro de presídio

Ordem para que mulheres executassem jovens saiu de dentro de presídio

A Delegacia Geral de Homicídios (DGH) informou nesta sexta-feira (29) que as ordens de execução de Áreli Dayane Cardoso Oliveira, de 19 anos, e Rayane Silva Pereira, de 25, mortas com requintes de crueldade, partiu de dentro da Penitenciária Agrícola do Monte Cristo.

Conforme a DGH, os detendos Erisvaldo Rubeiro Pinto, Osvaldo Nogueira Filho, Ivanildo Ferreira Carvalho e Evaldo Lira Almeida deram a ordem de execução das jovens sob a alegação de que elas seriam supostas informantes de uma organização criminosa rival. Eles foram indiciados por homicídio qualificado, e por integrarem e chefiarem organização criminosa.

Além dos detentos, também foram indiciadas pelo homicídio das jovens e por integrar organização criminosa cinco mulheres: Jessica Pereira de Lima e Kathely Mariane da Silva Rabelo, que já estão presas, Ana Carolina Gomes Pereira e Nelciane Pereira de Andrade, que estão com as prisões preventivas decretadas e estão foragidas, e Wilciana Souza Menezes, que ainda não teve a prisão decretada.

De acordo com a DGH, uma adolescente também teve participou das execuções. A polícia já solicitou à Justiça a emissão do mandado de busca e apreensão.

No dia 13 deste mês, duas das suspeitas confessaram o crime à polícia após serem presas pela Polícia Civil. Em uma das execuções, as criminosas fizeram um vídeo onde é possível ver a vítima sendo morta com dezenas de facadas.

A DGH informou ainda que as provas do crime foram obtidas por meio dos celulares apreendidos, depoimentos de testemunhas e das próprias suspeitas.

Delegada titular da DGH em exercício, Mirian Di Manso disse que odem de execução partiu de dentro do presídio (Foto: Divilgação/Polícia Civil)

Delegada titular da DGH em exercício, Mirian Di Manso disse que odem de execução partiu de dentro do presídio (Foto: Divilgação/Polícia Civil)

Jovens assassinadas. Entenda o Caso.

Duas jovens foram mortas com requintes de crueldade por mulheres integrantes de uma facção criminosa na região do Anel Viário em Boa Vista no dia 12 de dezembro, segundo a Polícia Civil.

Durante a execução de uma delas, as criminosas fizeram um vídeo onde é possível ver a vítima sendo morta com dezenas de facadas.

O corpo de Áreli Dayane Cardoso Oliveira foi encontrado com marcas de tiros no mesmo dia do crime em uma região de lavrado perto do Anel Viário.

Já o corpo de Rayane Silva Pereira, que foi executada com dezenas de facadas foi encontrado no dia 14, no bairro Cruviana, na zona Oeste da capital, segundo a Polícia Civil.

Do G1