Deputado é contra redução de repasses à saúde dos municípios

Savi sugere fiscalização às gestões dos hospitais para saber como o dinheiro destinado à área de saúde está sendo gasto

Deputado MAuro Savi (Foto: JLSiqueira/ALMT)

Durante a sessão plenária dessa quarta-feira (5), o deputado estadual Mauro Savi (PSB) criticou o governo do estado pela criação da Portaria 111/2017, que reduz repasses financeiros para seis unidades hospitalares,  em alguns casos, o corte chegará a 50%.  A decisão, conforme o parlamentar, pegou os prefeitos de surpresa.

Para Savi, é necessário um amplo diálogo com os gestores para que eles tenham tempo de se readequarem, e também aconselha ao governo achar outros meios de cortar gastos.

“Não somos contra o trabalho da Secretaria de Saúde e nem (contra) a revisão da pactuação dos hospitais filantrópicos, regionais ou hospitais de municípios. Estamos preocupados com esse corte imediato, porque os gestores fizeram compromissos. Diamantino, por exemplo, que recebe R$ 419 mil, caiu para aproximadamente R$ 130 mil. Temos que lembrar que Diamantino realizou 54 partos em um mês. Isso não acontecia antigamente e as crianças nasciam em Alto Paraguai. Então, gera um custo maior ao município. Pedimos tempo ao governo”, avaliou o parlamentar.

Savi sugeriu fiscalização às gestões dos hospitais para saber como o dinheiro destinado à  área da saúde está sendo gasto.

Na tarde de ontem (5), o Conselho Estadual de Saúde decidiu pela revogação da Portaria. A Secretaria de Estado de Saúde ainda não informou se a decisão é em caráter definitivo.

Veja quais são os municípios podem ser atingidos com o corte

Cuiabá: recebia R$ 1,446 milhão e passará a receber R$ 3,300 milhões.

Várzea Grande:  recebe R$ 641 mil e passa a receber R$ 1,3 milhão.

Confresa: manteve os R$ 500 mil.

Diamantino: de R$ 419 mil foi para R$ 130 mil.

Nortelândia: passou de R$ 140 mil para R$ 65 mil.

Barra do Garças: passa de R$ 690 mil para R$ 800 mil.

Juína: manteve o recurso de R$ 301 mil.

São Félix do Araguaia: passou de R$ 340 mil para R$ 250 mil.

Pontes e Lacerda: passou de R$ 792 mil para R$ 320 mil.

Jaciara: passou de R$ 42 mil para R$ 100 mil.

Rondonópolis: passou de R$ 1,7 milhão para R$ 1,3 milhão.

Juara: passou de R$ 417 mil para R$ 250 mil.