• Home
  • Leitura Dinâmica
  • “Burocracia é pior inimiga do aeroporto de Várzea Grande”, diz Wellington Fagundes

“Burocracia é pior inimiga do aeroporto de Várzea Grande”, diz Wellington Fagundes

Mesmo com equipamentos e máquinas à disposição, as obras no aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande (região metropolitana de Cuiabá) não são finalizadas. E a culpa é da burocracia, segundo o senador Wellington Fagundes, líder do Partido da República, que realizou, nesta semana, uma série de reuniões na Infraero e no Ministério dos Transportes para tentar solucionar os entraves nos serviços.Wellington-Fagundes Infraero

“Este é um importante terminal brasileiro, localizado no centro do país e com imenso potencial de conexão com o restante do Mercosul. E, infelizmente, considerado por pesquisas realizadas pelo próprio governo como sendo o pior do país, para os usuários”, lembrou o republicano.

Segundo ele, há pouco o que executar na parte nova do aeroporto. “Inclusive os equipamentos já estão lá, mas há uma dificuldade enorme de os serviços ficarem prontos, justamente por conta da burocracia entre a Secretaria do Estado e a Infraero”, alertou. Para ele, quaisquer ajustes no andamento dos serviços representa um novo ciclo burocrático para liberação de recursos e, com isso, novas paralisações.

Wellington esteve com o presidente da Infraero, Murilo Marques Barboza, e com o ministro dos Transportes, Maurício Quintella, cobrando dois pontos importantes para o andamento dessas obras: a manutenção do superintendente responsável pelo terminal, Autemar Lopes de Souza – que, segundo o senador, já está familiarizado com a cidade, o aeródromo e as obras; e também o destacamento de um diretor para cuidar exclusivamente das relações entre Governo e o Estado, no que concerne ao aeroporto Marechal Rondon.

“E lembro-lhes, senhoras e senhores, não estamos falando de recursos vultosos, mas de boa vontade, da proatividade e principalmente da diminuição da burocracia. Esperamos que essas duas inciativas sirvam para que todos os problemas que demandam ajustes nos contratos das obras não sejam motivo para toda uma paralisação dos trabalhos”, sanou.

Wellington, que preside a Frente Parlamentar de Logística de Transportes e Armazenagem (Frenlog), alerta que os usuários do terminal estão “fartos de esperar”. Em pronunciamento, nesta segunda-feira (8) , ele afirmou que o aeroporto de Várzea Grande “não pode continuar sendo o pior aeroporto do Brasil, ainda mais possuindo plenas condições de ser concluído”.

Wellington também aproveitou a audiência na Infraero para convidar o ministro Quintella (Transportes) a visitar as instalações, a fim de obter uma visão realista do problema e ampliar seu escopo de ações. “Sempre defendi que um homem público deve estar exatamente onde estão os maiores problemas, para conhecê-los e dar respostas rápidas a quem precisa das políticas públicas: a população brasileira. E que assim seja feito”, finalizou.

 

Da Assessoria