• Home
  • Polícia
  • Assaltantes trancam passageiros de roupa íntima em bagageiro de ônibus

Assaltantes trancam passageiros de roupa íntima em bagageiro de ônibus

Situação ocorreu na madrugada desta quarta (22), em Palmeira, no Paraná. Grupo faria compras no Paraguai; ladrões levaram R$ 100 mil em dinheiro

Ladrões trancaram 42 passageiros e dois motoristas no porta-malas de um ônibus durante um assalto em Palmeira, na região dos Campos Gerais do Paraná, na madrugada desta quarta-feira (22). Eles foram obrigados a ficar de roupas íntimas no bagageiro.

O ônibus saiu de Curitiba com destino a Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, na noite de terça-feira (21). O grupo faria compras no Paraguai.

Entretanto, quando o ônibus passava pela BR-277 em Palmeira, por volta da 1h, um homem saiu pelo teto solar de um carro e começou a atirar. O passageiro Clayton Covalski estava sentado em um banco da frente e viu tudo.

“O ônibus estava andando. Então, eles pararam o carro e pediram para o motorista parar. Eles ameaçavam com armas. Quando mandei o motorista seguir em frente, atiraram. Depois, me renderam e colocaram o revólver na minha testa. Também me perguntaram se eu era policial e disseram que, caso fosse, estava morto”, relata.

Os passageiros relatam que, ao todo, quatro homens armados participaram do crime. Eles roubaram cerca de R$ 100 mil em dinheiro, além de alianças, relógios e celulares.

Depois de roubar os pertences, os passageiros contam ainda que os bandidos fizeram com que um dos motoristas dirigisse até a área rural de Palmeira. Quando o ônibus chegou a uma lavoura, os criminosos exigiram que todos ficassem apenas com as roupas íntimas. Em seguida, os passageiros e motoristas foram trancados no bagageiro.

“Todo mundo estava pelado, só de calcinha e sutiã, e os homens de cueca. Começamos a pedir mantas, porque estava frio. Eles jogaram algumas e mandaram ficar ali 40 minutos. Só que eles não trancaram direito a porta, deixaram uma fresta e a gente conseguiu sair”, conta Roseli Shipiura.

Entretanto, como o ônibus ficou atolado na laviyra, os sacoleiros tiveram que esperar quase 10 horas para que um ônibus escolar pudesse resgatá-los. O veículo levou todos a um posto de combustíveis para que pudessem se aquecer.

“Fiquei constrangida, né? Você vem para fazer umas compras para levar e distribuir para as lojas, porque a gente vive das lojas, e vêm uns marginais”, diz a passageira Neuza Longato.

Até a publicação desta reportagem, ninguém havia sido preso. Não houve feridos.

Do G1 PR, com informações da RPC Ponta Grossa