75 anos de Roberto Carlos

Chega de política, de mandatos, de tanta coisa torta. Na terça-feira desta semana o “rei” Roberto Carlos completou 75 anos. Já não é mais o garotão cabeludo das nossas juventudes. Ambos vimos o tempo passar. Saudades do calhambeque que fugiu da língua portuguesa. Todo mundo quer ir pra internet e ninguém mais vai pro inferno. Nenhum de nós usa mais os caracóis nos cabelos. Como ele, penso que todos nós daquele tempo ainda sonhamos com os detalhes de coisas tão importantes no tempo de nós mesmos.

As emoções. Ah. As emoções que todos vivemos nesses nossos anos caminhando paralelos ao “rei”. “Amigos eu ganhei, saudades eu senti partindo…”. Quantas vezes partimos e vimos partidas que cortaram os nossos corações…  Mas insistiremos sempre: Jesus Cristo, estou aqui na multidão que vai caminhando. Continuamos guardando o que há de bom em nós para lhe dar quando você chegar, na doce esperança de que além do horizonte deve haver um lugar bonito pra viver em paz…

Falando sério, mas é que eu tenho cicatrizes que a vida fez, e tenho medo de fazer planos, de tentar e sofrer outra vez. Eu te proponho não dizer nada, seguirmos a mesma estrada que continua depois do amor, no amanhecer. Afinal, eu não posso mais a esperar que um dia de repente você volte para mim. Eu quero apenas olhara os campos. Eu quero apenas cantar meu canto. Queríamos todos ter um milhão de amigos.

Olho pra frente e pra trás. Tenho tanto pra lhe falar. Mas com palavras não sei dizer. Me desespero a procurar. Em toda essa saudade que ficou. Quantas vezes pensei em voltar. Mas meu silêncio foi maior. As coisas estão passando mais depressa. O ponteiro marca 120, o tempo diminui. As árvores passam mais depressa pra todos nós. A vida passa. O tempo passa.

Olhe aqui. Preste atenção. A razão e o porquê. Eu vi um menino correndo. Eu vi o tempo brincando ao redor do caminho. Olha todas as coisas que um dia sonhei pra mim. A cabeça cheia de problemas. Eu não me importo, porque gosto mesmo assim. Preciso acabar logo com isso, lembrar que eu existo. Obrigado Senhor por um novo dia
Obrigado, Senhor pela esperança.

Brigadão, Roberto Carlos. Seguimos juntos a mesma estrada. Nosso cabelos grisalhos. Nosso tempo passando. Nossas vidas…!

Onofre Ribeiro é jornalista em Mato Grosso

onofreribeiro@onofreribeiro.com.br   www.onofreribeiro.com.br