• Home
  • Política
  • Jornalista Eduardo Gomes prepara a biografia não autorizada de José Riva

Jornalista Eduardo Gomes prepara a biografia não autorizada de José Riva

A obra já passa pela segunda revisão ortográfica e será impressa em Brasília

JACQUES GOSCH
DO RDNEWS

Aos 65 anos, 44 deles dedicados à imprensa mato-grossense, o jornalista Eduardo Gomes de Andrade, conhecido como Brigadeiro, finaliza a biografia não autorizada do ex-deputado estadual José Riva. A obra, que já passa pela segunda revisão ortográfica, será impressa em Brasília devido à proximidade do personagem com empresários do setor gráfico no Estado.

Um capítulo da peça, cujo lançamento está programado para segunda quinzena de fevereiro, foi disponibilizado pelo autor ao Rdnews. O texto aborda as relações com o comunicador e o ex-deputado estadual Maksuês Leite, além do assessor Edemar Adams, já falecido, considerado braço-direito de Riva na Assembleia – trecho do texto no quadro acima.

Serão 272 páginas, divididas em 64 capítulos, onde Brigadeiro pretende revelar detalhes da intimidade e da trajetória política de Riva. Na apresentação, o biógrafo o descreve como figura polêmica que por duas décadas foi campeão de votos em Mato Grosso, controlou a Assembleia, deu cartas no Palácio Paiaguás e agora está enrodilhado por processos que o botaram na cadeia, sob a acusação de improbidade administrativa.

 

” Nunca fui comensal da Assembleia. Por isso, consegui escrever os pontos negativos e positivos do personagem com isenção”

Sem entrar em detalhes para não prejudicar o impacto do lançamento da obra, Brigadeiro também conta que a biografia não autorizada vai além da individualidade de Riva. Retrata o ex-deputado como uma verdadeira instituição política, com acertos e erros ao longo de 20 anos na vida pública.

“Ultimamente, Riva tem sido retratado como o demônio segurando o tridente. A biografia não tira o tridente, mas coloca a vela de santidade na outra mão. Nunca fui comensal da Assembleia. Por isso, consegui escrever os pontos negativos e positivos do personagem com isenção. Tenho certeza que muita gente irá se indispor comigo após a publicação”, declara.

Outro aspecto destacado foi à capacidade de Riva absorver os ataques que sempre sofreu na atividade política. Brigadeiro ainda lembra que o biografado conseguia manter o astral positivo, mesmo sendo acusado de corrupção pelo Ministério Público. Além disso, ressalta que a ideia de escrever a biografia surgiu durante visita à Assembleia para tratar de reportagem sobre as quadrilhas juninas do Araguaia. A manifestação artística, que costuma recebe o apoio do Poder Legislativo, faz parte da identidade cultural daquela região do Estado.

“A ideia surgiu em 2014. Estava andando no corredor da Assembleia quando encontrei o deputado estadual Pedro Satélite, correligionário de Riva no PSD. Perguntei sobre a saída do ex-parlamentar da vida pública. Com sorriso cínico e olhar maquiavélico, ele respondeu: rei morto, rei posto. Na hora, decidi que escrever a biografia não autorizada”, relata.

 

” Tenho certeza que muita gente irá se indispor comigo após a publicação”

Depoimentos

Na apuração das informações, Brigadeiro ouviu depoimentos de políticos, empresários e pessoas que tiveram ligação com Riva em diversos momentos da sua trajetória. Familiares, no entanto, foram excluídos do processo. O autor avalia que a esposa Janete e os filhos José Geraldo Júnior, Jéssica e a deputada estadual Janaína Riva acabariam reproduzindo o pensamento do próprio personagem e comprometendo a isenção da obra.

“Cheguei à conclusão de que pessoas que foram ligadas a Riva e se beneficiaram da ligação, hoje o consideram um marginal. Alguns tentam apagar a ligação das suas histórias pessoais. Apenas uma pessoa permanece fiel, visita na prisão e não nega a afeição pelo ex-patrão com quem trabalhou durante 20 anos”.

P0r fim, Brigadeiro garante que a obra sobre Riva já tem título, mas que não será revelado antes do lançamento. Ressalta que a produção não contará com recursos das leis de incentivo cultural e que a tiragem será compatível com a demanda literária, em Mato Grosso.

Os interessados em adquirir exemplares poderão entrar em contato com o autor pelo telefone (65) 9982-1191, pelo Facebook ou pelo e-mail eduardogomes.ega@gmail.com.

 

Crônicas

O autor também assina Dois dedos de prosa em silêncio, a coletânea de crônicas que, conforme Brigadeiro, são para rir, refletir e arguir de episódios históricos ocorridos no Estado.

Sua primeira obra é o Livro 44, apresentado como fragmento da história de Mato Grosso na visão de um repórter. “Peço que comprem. Faz bem para meu bolso e contribui com o conhecimento histórico”, conclui, com bom humor.

 

Reprodução/RDNews

Trechos Biografia