• Home
  • Geral
  • Projeto Rondon dá início às ações em quatro municípios mato-grossenses

Projeto Rondon dá início às ações em quatro municípios mato-grossenses

Mato Grosso é o primeiro estado a executar a edição regional do projeto. Lançamento foi neste sábado (09.01), no Palácio Paiaguás, em Cuiabá

Com o objetivo de transformar a realidade local e buscar novas experiências, quatro equipes com 82 jovens universitários mato-grossenses encaram o desafio de ajudar o próximo, promovendo trabalho de inclusão. Esse é o Projeto Rondon – Operação Paiaguás, que iniciou suas atividades neste sábado (09.01). Mato Grosso é o primeiro estado a executar a edição regional do projeto, coordenado nacionalmente pelo Ministério da Defesa.

Quatro municípios de Mato Grosso vão receber os estudantes, são eles: Cáceres; Alto Paraguai; Santo Afonso e Poxoréu. A escolha levou em conta o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e também as dificuldades enfrentas pela população. Até o dia 23 de janeiro diversas oficinas serão realizadas, juntando teoria e prática.

A professora Alessandra Campregher, que coordena um dos grupos da Universidade de Cuiabá (Unic), conta que as oficinas que serão ministradas nas comunidades são interdisciplinares. Dessa forma, alunos de diversos cursos se inscreveram para viver a troca de experiência.

“O objetivo é a transformação dos ‘rondonistas’ [como são chamados os participantes] e também da comunidade local. É um projeto de doação total, os alunos são de cursos diversos e temos oficinas em diversas áreas, em saúde, comunicação, como falar em público e oficinas para trabalhar com idosos. Todas elas são diferentes e acontecem simultaneamente”, explica a professora que coordena a equipe que vai atuar em Santo Afonso.

A Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), do campus de Barra do Bugres, também participa da iniciativa. O coordenador dos alunos, o professor do curso de arquitetura João Mário de Arruda Adrião, destaca que a seleção dos alunos participantes não foi fácil e dos seis cursos três têm representantes entre os alunos escolhidos.

“Nossa preocupação era buscar assunto em comum. Fizemos uma lista com assuntos que gostaríamos de trabalhar e os alunos foram escolhendo os temas que tinham mais habilidade, estudaram o assunto mais a fundo e prepararam as oficinas de apresentação”, conta o professor.

A estudante Ana Paula, 29 anos, está no quinto semestre de Nutrição da Unic e afirma que sempre gostou do trabalho voluntário. Para ela, o fato de poder atuar em um município de Mato Grosso irá facilitar os trabalhos por conta da identidade regional. “Vou levar uma experiência de vida. Quando se depara com a realidade das comunidades conseguimos perceber como a vida pode ser bem vivida mesmo diante das dificuldades”.

Durante o lançamento da Operação Paiaguás, realizado neste sábado (09.01), em Cuiabá, o governador Pedro Taques lembrou o artigo terceiro da Constituição Federal, que apresenta os objetos fundamentais do país, a construção de uma sociedade livre, justa e solidária; garantia do desenvolvimento nacional; erradicação da pobreza e da marginalização; e redução das desigualdades sociais e regionais.

Taques ressaltou que os objetivos só serão alcançados com a ajuda de todos. “Os alunos têm um papel significativo neste momento que estamos vivendo, eles agarraram o projeto com unhas e dentes. Os alunos vão conhecer pessoas com problemas diversos e precisam se lembrar que a nossa sociedade precisa ser mais livre, mais justa e mais solidaria. Eu acredito no Projeto Rondon. Quando descobri que tinha a possibilidade de uma edição regional, buscamos imediatamente a implantação aqui no estado e estamos concretizando isso neste momento”.

O Gabinete de Governo e a Casa Civil foram as pastas responsáveis pela articulação, execução e apoio do Estado à ação. Além da Unemat e Unic, também participam do projeto alunos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT).

O secretário de Pessoal, Ensino, Saúde e Desporto do Ministério da Defesa, Ricardo Machado Vieira, participou da abertura dos trabalhos em Mato Grosso e ressaltou a importância do Projeto Rondon. “É a intenção do Ministério da Defesa ampliar essas atividades, dentro das nossas limitações, para que mais municípios possam ser alcançados. Estamos modificando um pouco a ideia e este é o primeiro ano que desenvolvemos o projeto regionalmente. Mato Grosso é primeiro estado com essa nova visão, mas isso é produtivo porque reduz custos com deslocamentos, principalmente pelo fato de usar estudantes do próprio estado, que vão ter um conhecimento mais profundo da realidade local”.

Segundo o secretário, o apoio do Governo do Estado foi essencial para a execução do projeto, tendo em vista o conhecimento dos municípios e a possibilidade de alocar recursos para ajudar no desenvolvimento das ações. Na próxima semana, o estado do Maranhão também receberá o Projeto Rondon com sua edição regional.

Rondon

O Projeto Rondon nasceu em julho de 1967, mas teve suas atividades encerradas em 1989. Em 2005 foi reativado devido a pressão de alunos universitários. O projeto é uma ação governamental do Ministério da Defesa por meio das Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica), que dividem a coordenação e apoio à execução.

Já o nome é uma homenagem ao mato-grossense Cândido Marino da Silva Rondon, o “Marechal Rondon”, considerado Patrono das Comunicações no Brasil e com feitos reconhecidos mundialmente. Até 05 de maio deste ano, Mato Grosso vive o ano de Rondon, em homenagem aos 150 anos de nascimento do mimosiano.

Texto: Thiago Andrade | Gcom-MT

Fotos : Rafaella Zanol – Gcom/MT